Sem vontade, sem leituras

Em 2022 eu li um livro no final de janeiro, O Mistério dos Três Pedaços, de Sophie Hannah, nos dias 27, 28, 29 e 30 e um livro no final de abril, 27, 28 e 29, A Lista de Convidados, de Lucy Foley, e foi só para os primeiros seis meses do ano.
Comecei a Biblioteca de Paris, de Janet Skeslien Charles, e parei na página 122, e Infâncias Roubadas, de Angela Marsons, e parei o livro também, enrola demais, além do fato de eu ter que ler e voltar muitas vezes, coisas que nunca aconteceram comigo neste tipo de leitura.
E me interessei por dois livros, na verdade quatro, mas dois me chamaram muito a atenção, Morte No Internato, de Lucinda Riley, e A Família Perfeita, de Lisa Jewell, mas ficaram nas livrarias, por que o que adianta comprar mais dois se desde muito tempo, acho que uns dois anos, por aí, eu perdi o interesse da leitura? Para mim nada, nem como tentativa.
Em seis meses consegui ler só dois livros, dois!
Foram só dois livros lidos em 180 dias, e me desinteressei por outros dois no mesmo período.
E aumentar a estante apenas por aumentar, comprando livros que nunca serão lidos, não dá, livros que um dia pensei em ler, sim, em algum momento a sinopse me interessou, mas que depois foram parar na estante dos esquecidos, como A Filha Esquecida, de Armando Lucas Correa, e Não Confie Em Ninguém, de Charlie Donlea, adquiridos em dezembro de 2020.
Então comprar um livro para quê?
E atualmente se fosse ler um livro deveria ter no máximo 200, 220 páginas, não mais, e um livro que já começasse sem dar voltas, na história, mas todos saem de 300 para cima e no momento isto não cabe para mim.
E ainda por cima aqui, na livraria física, um livro sai de sessenta reais para cima, e na virtual deixei de comprar, então parei por muitos motivos, mas o principal é que perdi o tesão pela leitura, e não posso forçar uma coisa se este meu momento o meu mar não está para peixe.
Sem vontade, sem leituras!

Meu som

Sigo ouvindo e cada vez mais gostando da música dos anos 70, as discotecas, e anos 80, pop rock internacional, aliás, gosto mais da música internacional, mas tem muito som brasileiro, deste estilo que ouço até hoje.
Então agora que estou com a Alexa ouvindo mais o que gosto, nada de pagode ou sertaneja, respeito os outros, mas tenho os meus gostos.
Pretendo tocar Crazy Little Thing Called Love, Queen, já fiz um começo, mas quero toda ela, mas como estou evitando baixar a cabeça, que é o que não deveria estar fazendo agora, não venho treinando em casa, ainda não, e ainda sigo afastado do curso.
A outra que pretendo tocar é Cold Heart, Elton John e Dua Lipa.
Na verdade querendo aprender o que der, mas depois de passar cinco dias hospitalizados, já em casa, evitando certas rotinas, de momento, e com médicos marcados para fazer um check up.
Mais por casa, saindo quando necessário.

Novidades

Oi!

Estou afastado há um bom tempo, mas minhas novidades, e nem tanto, é uma bateria acústica da Nagano, sigo com curso, mas por problemas de saúde me afastei um pouco, pretendo retornar em breve.

Comprei um notebook novo, meu primeiro Acer, e instalei uma Alexa aqui em casa, mais como um brinquedo, mas também útil.

Escrever segue me fazendo mal, agora meu problema é baixar a cabeça, não me faz muito bem, e evito digitar muito ou até escrever.

Depois que eu parei o blog aqui na internet, nunca vai ser uma parada definitiva, comecei a escrever um diário aqui em casa, coisas que não dividiria na rede social.

Coisas pessoais ou diárias.

Utilizo muito o celular para navegar, conversar com amigos, gravar áudios, enfim…
Rede social para mim é isso.

Ainda estou no Facebook, nova conta, Twitter, nova conta, Instagram e Pinterest, e muitas outras, mas escrever mesmo, apenas o meu diário.

Nada de pesquisar para postar, é mais blá-blá-blá.

Sempre gostei de ler bastante, mas neste ano li apenas dois livros.
Tentei começar outros, mas acabei fechando.
Sempre voltando para trás e recomeçando a leitura, desconcentrado.

Lia por obrigação, leia-se meta, o que aconteceu a partir de determinado momento quando minhas leituras deixaram de ser por prazer.
Eu cansei, e acho que tão cedo não volto a ler nada.
Prontinho!

Abraços aos amigos que fiz aqui.

Ela por ela

Comprei uma bateria nova, fiz uma troca, uma eletrônica C. Ibañez por uma acústica Nagano, mas ainda não foi montada, quero arrumar a peça que ela vai ser instalada, e se der, torná-la acústica Já fazendo obra na casa para poder montá-la, apesar que ainda não adquiri os pratos, como estou com pinturas e obras em lugares diferentes tenho que ir com muita calma. Comecei este post faz uns dias, e coloquei em rascunho, pouca vontade de postar assim como ideias, meu maior problema, mas tentando. Tentando na verdade é atualizar.

B99

Estou assistindo a série Brooklyn Nine-Nine, na Netflix, também conhecida por B99, uma série policial cômica, com o lado policial como uma série comum, mas o lado cômico muito fora da rota, com muita bobagem dita no meio. Uma coisa que eu não gosto em séries ou filmes é a dublagem ou a legenda, e nesta série não poderia fugir à regra. As piadinhas são usadas puxando para o lado do Brasil, olha, eu gosto do meu país, mas quanto aos filmes que usem a maior originalidade possível. Se soubesse a língua inglesa, certamente veria o filme em inglês e me pouparia de ouvir o que não gosto, provavelmente saberia o que estariam originalmente dizendo. Acho que deveriam moderar. Já estou assistindo a quinta temporada, mas na Netflix são sete, até agora, falta a oitava para ser concluída. Uma série fantástica, e que eu indico.

A viagem, o curso e o livro

Olá meus amigos, vindo para atualizar o blog depois de um tempo afastado. Em dezembro estive em Florianópolis, fomos de carro, na volta não me senti muito bem, mas nada preocupante, ainda no estado vizinho, mas graças a Deus estou bem, e em casa.
Quanto ao passeio não foi o que eu esperava, muito por não gostar de praia, e Floripa ser cercada delas.
Retornei ao meu curso de bateria, era uma eletrônica, ainda é, mas comprando uma acústica, quero outro tipo de som agora, e por morar em casa, suporta.
Janeiro consegui ler um livro, O Mistério dos Três Pedaços, de Sophie Hannah, (Agatha Christie com Hercule Poirot).
Abraço a vocês!

Os livros lidos neste ano

Este ano li muito pouco, em relação ao anterior, leio cada vez menos, mas em novembro encontrei três boas leituras para aumentar a lista, cito novembro, porque ao contrário dos outros anos, estou escrevendo somente agora, nos anos anteriores começava o post em janeiro, fevereiro ou março, e editava mês a mês.

A minha lista dos livros lidos:


Janeiro

03

Tamanho 42 Não É Gorda
(Meg Cabot)

Impasse
(Sandra Brown)

À Margem do Lago
(Sara Gruen)

Fevereiro

03

A Última Grande Lição
(Mitch Albon)

Despertar de Uma Submissa
(Tati Oliveira)

A Morte da Sra. Westaway
(Ruth Ware)

Março

02

O Retorno
(Nicholas Sparks)

A Suspeita
(Nora Roberts)

Abril

04

Princesa das Cinzas
(Laura Sebastian, Releitura)

Dama da Névoa
(Laura Sebastian)

A Mais Pura Verdade
(Dan Gemeinhart)

Três Coisas Sobre Você
(Julie Buxbaum)

Maio

01

Uma Proposta Irrecusável
(Katie Fforde)

OBSERVAÇÃO: Em cinco meses, treze livros dos quais sete releituras.

Junho

01

Teto Para Dois
(Beth O’leary)

Lidos em um semestre, de janeiro a junho, 14 livros.

Julho

05

A Casa dos Novos Começos
(Lucy Diamond)

O Menino do Bosque
(Harlan Coben)

O Garoto da Casa Ao Lado
(Meg Cabot)

A Garota Que Lê No Metrô
(Christine Féret-Fleury)

Três Semanas Com Meu Irmão
(Nicholas Sparks e Micah Sparks)

Agosto

01

A Irmã Desaparecida
(Lucinda Riley)

Setembro

02

As Musas
(Alex Michaelides)

A Lista de Brett
(Lori Nelson Spielman)

Outubro



Novembro

03

O Canibal de Nine Elms
(Robert Bryndza)

Seis Anos Depois
(Harlan Coben)

A Forma da Noite
(Tess Gerritsen)

Dezembro

O mês de novembro

Este mês voltei a ler. Li os livros O Canibal de Nine Elms, de Robert Bryndza, Seis Anos Depois, de Harlan Coben, e A Forma da Noite, de Tess Gerritsen. Achei que não iria mais ler este ano, mas finalmente as leituras voltaram, mas também, livros com poucas páginas, requisito para ler meus livros hoje em dia, e de autores pontuais.

Quando a vontade não vem, o negócio, no meu caso, é recorrer a livros policiais e de suspenses, e pronto. O primeiro li nos dias 22 e 23, o segundo nos dias 24 e 25 e o terceiro nos dias 27 e 28.

No dia 03 desse mês comecei um diário, e venho escrevendo nele diariamente.
Ainda este mês gravei dois vídeos tocando bateria, ambos na escola Centro Musical O Batuta, aqui em Pelotas, onde faço curso do instrumento. Tocando as músicas Highway To Hell, do AC/DC, e Sweet 69, do Babes In Toyland. Estão no meu Instagram.

Os sete

Eis os livros que eu eu comprei e não abri em momento nenhum, sem vontade nenhuma de ler, satisfazer a curiosidade das compras, quando das leituras das sinopses.

Augusto Cury – O Código da Inteligência

Angela Marsons – Infâncias Roubadas

Robert Bryndza – O Canibal de Nine Elms

Tess Gerritsen – A Forma da Noite

Harlan Coben – Seis Anos Depois

Armando Lucas Correa – A Filha Esquecida

Charlie Donlea – Não Confie Em Ninguém.

Hoje em dia livros não podem ter mais de 250, 280 páginas. Não podem chegar a 300, e com isso já elimino boas leituras, por isso que alguns livros destes sete nem foram abertos.

Uma atualizada

Olá amigos!

Depois de um tempo voltando hoje ao blog para dar uma atualizada.
Eu voltei ao curso de música, mas agora não mais no teclado, apesar que sinto uma vontade de tocá-lo, mas não ligo, voltei tocando bateria e acabei comprando uma eletrônica, uma C. Ibañez.
Estou gostando muito do curso. Em casa não toco como deveria.

Parei de ler, eu li de dezembro de 2015 até setembro de 2021 sem parar, ao menos um livro por mês, mas cansei, os sete livros novos estão na estante e não tenho vontade nenhuma de pegá-los para ler. Pode ser que em um determinado momento volte a ler, mas o fato é que agora não vai ser porque a vontade é zero, nem pretendo voltar a comprar. Foi o que eu fiz, recentemente aceitando a dica de um amigo, e comprei o livro do Augusto Cury, O Código da Inteligência, tentei ler, mas a leitura não evoluiu.

É a crise literária! Eu vinha ano a ano diminuindo a leitura, cansando ou lendo obrigado, por mim, e não por prazer, e resolvi dar um basta. Com vontade e não por metas, sim, do contrário não.

E para concluir, comecei um diário, mas não virtual.

E jogando muito no celular, eu que nunca fui fã de jogos, fosse onde fosse, celular, tablet ou computador, e agora perdendo muito tempo neles, principalmente palavras cruzadas e quebra-cabeças.
Abraços a todos!

O que está acontecendo?

O Grêmio começou este ano mal, continuação do campeonato passado e todas as copas disputadas em 2020, perdidas, mas este ano, ainda com Renato, caiu da Libertadores, depois veio o Tiago Nunes, e continuou jogando mal, me surpreendendo negativamente, e agora o Felipão tenta fazer mágica para tirar o meu tricolor do rebaixamento, mas já deixou a Sul-Americana com derrota em casa, e continua patinando, e a direção namorando jogadores brasileiros ou outros, na Europa. Por que não do mercado sul-americano ou mesmo que joguem aqui? Um time não desaprende futebol, ainda mais jogando juntos há tanto tempo. Ouço que querem contratar jogadores que entrem na área e chutem, mas basta jogar vertical e chutarem, não ficarem jogando para os lados, porque aí vão depender de outros de fora. Basta chutar! Sinceramente não sei aonde o Grêmio vai parar, mas espero que saia do Z4 logo. Quanto a este campeonato, qualquer posição que não seja o Z4 está boa, o importante é reagir e ano que vem pensa-se em algo melhor.

Leituras do mês

Li até agora cinco livros nesse mês, que são, A Casa dos Novos Começos, de Lucy Diamond; O Menino do Bosque, de Harlan Coben; O Garoto da Casa Ao Lado, de Meg Cabot – esse há muito tempo estava numa lista de livros que eu queria muito – A Garota Que Lê No Metrô, de Christine Féret-Fleury; e Três Semanas Com Meu Irmão, de Nicholas e Micah Sparks. Tanto ri como me emocionei. A história da vida deles.
Só queria registrar aqui no meu blog já que não venho mais postando nem mesmo usando o computador. Fico mesmo é pelo celular e o que ele oferece, e meus programas favoritos, atualmente são o WhatsApp, Instagram, YouTube e Tik Tok.
Abraços a todos.

Dois programas

Hoje entrei no meu e-mail e havia um da minha operadora dizendo que o meu plano permitia o aplicativo Skeelo para leitura. Baixei o mesmo, me cadastrei e já estou lendo um livro, A Garota Que Lê No Metrô, de Christine Féret-Fleury. Por outro lado, hoje, depois de um bom tempo, saí do Facebook, já não vinha usando como antes, e soube de algo que aconteceu com um amigo, roubo de dados, e juntando as duas coisas resolvi sair, eu excluí a conta definitivamente, mas se retornar em 30 dias recupero a mesma, não sei se as fotos, mas tinha feito uma limpa antes.
Já havia saído há uns meses atrás do Twitter, e dessa forma duas das principais redes sociais não faço mais parte.
Sigo com o Instagram e Whatsapp, e outras.

O livro de maio

Nunca li tão pouco, nos cinco primeiros meses de 2021, li apenas 13 livros, dos quais 7 releituras, aí resolvi olhar no meu computador as listas dos anos anteriores, e olha a estatística anterior e atual.

2016: 20 livros
2017: 24 livros
2018: 29 livros
2019: 17 livros
2020: 19 livros

2021: 13 livros

O meu último livro lido, único em maio, foi o livro Uma Proposta Irrecusável, de Katie Fforde.
Tenho uma lista com alguns livros, nove anotados, mas o que vou comprar desses livros, e ler, são outros quinhentos. Atualmente para mim não basta comprar, porque comprei dois e não consigo lê-los.

Eis a lista que me despertou interesse:

A Casa dos Novos Começos
(Lucy Diamond)
O Enigma do Quarto 622
(Joel Dicker)
O Menino do Bosque
(Harlan Coben)
Infâncias Roubadas
(Angela Marsons)
Sangue Revolto
(Robert Galbraith)
Teto Para Dois
(Beth O’leary)
Uma Espiã No Meu Passado
(Lucinda Riley)
O Garoto da Casa Ao Lado
(Meg Cabot)
Black Hills
(Nora Roberts)

Releituras do mês

Eis os quatro livros que eu reli no mês de abril. Aqui mesmo só para deixar registrado o que li, porque não tenho vontade nenhuma de vir postar, mas entro também para curtir o blog de vocês e quando dá, comentar.
Vendo muitas séries, já quatorze vistas, e destas, três concluídas.


Minhas leituras

Princesa das Cinzas
(Laura Sebastian)

Dama da Névoa
(Laura Sebastian)

A Mais Pura Verdade
(Dan Gemeinhart)

Três Coisas Sobre Você
(Julie Buxbaum)

25 de abril

Eu não sinto vontade de postar, mas para não passar tanto tempo sem deixar nada e misturando os assuntos, finalmente tomei a primeira dose da vacina contra a covid-19, e aguardo ansiosamente pela segunda, da mesma forma que muitos, ainda, pela primeira.
Não vejo a hora dessa pandemia acabar.
Às vezes aqui na praia falta luz, e quando volta é aquela gritaria de felicidade porque a luz voltou, como se fosse um gol, imagino, ou tento imaginar, quando cessar essa praga, como será o grito de cada um de nós no mundo.

O Grêmio está de técnico novo, finalmente!
Não aguentava mais o estilo do técnico antigo. Saiu o treinador, ficou o ídolo. Ponto.
As conquistas passadas estão no armário, Copa do Brasil 2016 e Libertadores 2017. Que venham novas.

E sigo cada vez mais vendo séries e mais séries no Netflix.
Ponto Cego, Unidade 42, Retaliação, Warrior Nun, À Louva-A-Deus, Marcella, DeadWind, Capitani, Wanted, Emily Em Paris, Ginny E Georgia, Marvel: Jessica Jones e Bordertown.
Em negrito, completas, cada uma com três temporadas.

Hoje fui à missa, senti necessidade de estar presente, e fui, liguei para a igreja, dei o meu nome e compareci. A Igreja está em obras e só pode receber 25 pessoas por missa, mesmo assim faltaram alguns.
Aqui na praia tem igreja, mas eu me sinto bem na Igreja do Porto, a Paróquia Sagrado Coração de Jesus. Recebeu o apelido do Porto porque fica no bairro de mesmo nome.

Na espera

Aguardando a continuação das séries abaixo:


Ponto Cego
(5ª temporada – Final)
Warrior Nun
(2ª temporada)
Unidade 42
(2ª temporada)
Retaliação
(2ª temporada)
Ginny E Georgia
(2ª temporada)
Emily Em Paris
(2ª temporada)

Bolinha murcha

O Grêmio, meu time do coração, vem jogando uma bolinha murcha, porque a bola sai do goleiro, vai para o lateral, dali para o zagueiro central e para o quarto zagueiro, aí a bola é devolvida para o central que devolve para o zagueiro da esquerda, até chegar em algum lateral que encontra o primeiro volante, que de todo o campo para jogar, à frente, resolve atrasar para os zagueiros, e começa tudo de novo, quando a bola chega em algum atacante, não pensem que vão para cima, não, eles retornam e começam de novo, ou para o lado ou para trás, meu time chega a me irritar, não assisto os jogos, mas por acaso eu vi dois e não deu, dei um tapa na mesa, de mão aberta, forte.
É um futebol muito feio, que irrita qualquer um, sem verticalidade, sem a busca do gol, enquanto os adversários, sejam eles quais forem, quando de posse da bola partem em direção ao gol do Grêmio.
Gostaria de saber quantos passes por jogo dão para o lado e para trás?
E quantos para frente, em direção ao gol?
Quantos chutes por partida?
Quem teria esses dados, essa estatística, ou onde arrumar?

Ah, Grêmio!

Com este esquema viciante, sem inspiração, prefiro não ver mais, invisto numa programação mais tranquila do que esta que está sendo apresentada, sem objetividade.
E na maior parte do jogo os atletas do Grêmio não dão um chute, nenhum chute, só giram em campo, que perdeu a graça.
E cadê as jogadas ensaiadas como em outros tempos?
O Grêmio joga, irrita, mas ganha também, mas longe daquele futebol campeão, o melhor do Brasil, como o Renato dizia.
Ou dá uma mudada radical, ou segue indo aos trancos e barrancos.
Jogadores novos estão chegando, mas se o esquema não mudar, não beneficiar os atacantes, não for vertical e objetivo, pode vir o melhor dos craques que no Grêmio vai desaparecer.
Infelizmente!

Morreu de confusão

Um texto que havia postado no meu blog do Blogger/Blogspot, Morreu de Confusão, que reproduzo aqui, como post, confuso e cômico.

Foi encontrada no bolso de um suicída, em Maceió, a seguinte carta:

“Ilmo. Sr. Delegado de Polícia:

Não culpe ninguém pela minha morte. Deixei esta vida porque, um dia mais que eu vivesse, acabaria morrendo louco. Explico-lhe, Sr. Delegado: tive a desdita de casar-me com uma viúva, a qual tinha uma filha. Se eu soubesse disso, jamais teria me casado.
Meu pai, para maior desgraça, era viúvo, e quis a fatalidade que ele se enamorasse e casasse com a filha de minha mulher. Resultou daí que minha mulher tornou-se sogra de meu pai. Minha enteada ficou sendo minha mãe, e meu pai era, ao mesmo tempo, meu genro. Após algum tempo, minha filha trouxe ao mundo um menino, que veio a ser meu irmão, porém neto de minha mulher, de maneira que fiquei sendo avô de meu irmão. Com o decorrer do tempo, minha mulher também deu à luz um menino que, como irmão de minha mãe, era cunhado de meu pai e tio de seu filho, passando minha mulher a ser nora de sua própria filha.
Eu, Sr. Delegado, fiquei sendo pai de minha mãe, tornando-me irmão de meu pai e de meus filhos, e minha mulher ficou sendo minha avó, já que é mãe de minha mãe. Assim, acabei sendo avô de mim mesmo. Portanto, Sr. Delegado, antes que a coisa se complicasse mais, resolvi desertar deste mundo.
Perdão, Sr. Delegado.”
***
Sabem de quem é a autoria para que possa dar os devidos créditos?

Minha vida em livros

Visitando o Blog das Tatianices, vi a Tag Minha Vida Em Livros, e resolvi participar, então aqui estão as minhas respostas.

01. Encontre na sua estante um livro com a inicial do seu nome:
Eis alguns livros que comecem com “M” de Mauro, Menina de Vinte (Sophie Kinsella), Marina (Carlos Ruiz Zafón), Minha Vida (Não Tão) Perfeita (Sophie Kinsella), Mentira Perfeita (Carina Rissi), Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre? (Sophie Kinsella), Minha Avó Pede Desculpas (Fredrik Backman). São alguns.

02. Vá contando a sua idade pelos livros da sua estante: qual livro está no número da sua idade?
Tenho um bom número de livros em lugares diferentes, só não tenho a estante, ainda. E aqui comigo, apenas 21 livros, e dois deles ainda não li, um pela quantidade de páginas Não Confie Em Ninguém, Charlie Donlea, o outro pela história, A Filha Esquecida, de Armando Lucas Correa, por ter lido um livro semelhante, dele mesmo.

03. Um livro que seja ambientado na cidade/estado/país onde você mora:
Eu comprei um e-book com 800 páginas sobre minha cidade, Pelotas, e o estado do Rio Grande do Sul.
Praticamente nem comecei.
Li alguma coisa e parei.
***
Não leio biografias, religiosos, técnicos, de poesias, romances, que fale sobre este ou aquele lugar, nem de culinária, mesmo assim tenho alguns e-books com alguns desses temas, só não li. Baixei, comecei e parei. Baixei também sobre teclado, mas se tiver que estudar tem que ser em livro impresso.

04. Um livro que se passe num lugar que você adoraria conhecer:
Não sei.
Não tenho ideia.
Uma pergunta a quem for ler esse post, ao final de suas leituras, passado algum tempo, com o livro na estante, vocês sabem a história sem recorrer a sinopse? Poucos eu fiquei com a história.
Respondo na sexta e última pergunta.

05. Um livro que tenha sua cor favorita na capa:
Muitos livros eu compro pela capa, pelo conjunto de cores, mistura de cores vivas. Minha cor favorita é azul, pelo futebol, o Grêmio, e tenho muitos livros nessa cor, mas prefiro os livros com mistura de cores. Aqui nenhum comigo.

06. De qual livro você tem boas lembranças?

Muitos, mas um em especial, já deixado em post, que meu pai me deu quando estava no segundo ano primário e tem dois livros que já li bastante, um livro que nunca esqueço a história, geralmente passado um tempo esqueço da maioria, o livro é Mais Que Amigos, da Barbara Delinsky, também tem um outro livro que me foi dado por uma pessoa muito querida, Tempo de Recomeçar, de Julianne Maclean.

E você, como seria a sua vida em livros?

Ponto Cego, NetFlix

Terminei de ver as quatro primeiras temporadas dessa série, a primeira com 23 episódios, e as outras com 22 episódios cada uma, agora espero a quinta temporada, e última, essa com 13 episódios.
Blindspot é uma série norte-americana, criada por Martin Gero, que apresenta a história de uma mulher misteriosa que aparece nua em plena Times Square, completamente coberta por misteriosas e complexas tatuagens, sem memória de quem é e de como chegou ali.
Fonte: Google

Elenco:

Jaimie Alexander
(Jane Doe)

Sullivan Stapleton
(Kurt Weller)

Ashley Johnson
(Patterson)

Audrey Esparza
(Tasha Zapata)

Rob Brown
(Edgar Reade)

Luke Mitchell
(Roman)

Ennis Esmer
(Rich Dotcom)

Para quem quiser saber mais a respeito, cliquem no site do Wikipedia, aqui.

NetFlix

Eis os filmes e séries vistos ou que comecei a ver no NetFlix, uns que gostei muito, e algumas séries que não vou incluir nessa relação porque não gostei e não fui adiante.


Filmes:
Enola Holmes
Momentum
A Vida Secreta de Zoe
Missão Impossível: Efeito Fallout
Close
Chumbo Grosso
AVA
O Agente da Uncle
A Sentinela
Golpe Duplo


Séries:
Marvel: Jessica Jones
(Completa)
Ginny & Georgia
Emily Em Paris
Amigas Para Sempre

Amigas Para Sempre não vi a temporada toda, pois não estou gostando muito, estou mais light na escolha das séries.
O chato é ter que escrever o post com o básico que sei de HTML, já com o editor clássico era bem melhor, mais rápido e mais completo.

Séries, temporadas e episódios

Não gosto de séries que começam já acabando, tipo Candice Renoir, com apenas oito episódios na primeira temporada, e com dez na segunda, em desenvolvimento, ou L.A.’s Finest com treze episódios na primeira temporada, não vi a segunda por bater com o horário de outra que já vinha assistindo em outro canal, assim como Marvel: Jessica Jones, primeira série que vi na Netflix, essa com três temporadas e treze episódios em cada uma. A série que comecei neste final de semana foi Ginny & Georgia, uma temporada e apenas dez episódios, e só retorna, pela pesquisa feita no Google no começo do próximo ano, até lá já esqueci a história toda.

Minhas séries preferidas.

Criminal Minds:
Temp. 15 – 10 episódios
Temp. 14 – 15 episódios
Temp. 13 – 22 episódios
Temp. 12 – 22 episódios
Temp. 11 – 22 episódios
Temp. 10 – 23 episódios
Temp. 09 – 24 episódios
Temp. 08 – 24 episódios
Temp. 07 – 24 episódios
Temp. 06 – 24 episódios
Temp. 05 – 23 episódios
Temp. 04 – 26 episódios
Temp. 03 – 20 episódios
Temp. 02 – 23 episódios
Temp. 01 – 22 episódios

Hawaii Five-0
Temp. 10 – 22 episódios
Temp. 09 – 25 episódios
Temp. 08 – 25 episódios
Temp. 07 – 25 episódios
Temp. 06 – 25 episódios
Temp. 05 – 25 episódios
Temp. 04 – 22 episódios
Temp. 03 – 24 episódios
Temp. 02 – 23 episódios
Temp. 01 – 24 episódios

NCIS
Temp. 18 – 10 episódios
(Em desenvolvimento)
Temp. 17 – 20 episódios
Temp. 16 – 24 episódios
Temp. 15 – 24 episódios
Temp. 14 – 24 episódios
Temp. 13 – 24 episódios
Temp. 12 – 24 episódios
Temp. 11 – 24 episódios
Temp. 10 – 24 episódios
Temp. 09 – 24 episódios
Temp. 08 – 24 episódios
Temp. 07 – 24 episódios
Temp. 06 – 25 episódios
Temp. 05 – 19 episódios
Temp. 04 – 24 episódios
Temp. 03 – 24 episódios
Temp. 02 – 23 episódios
Temp. 01 – 23 episódios

Mudando de canal, saindo do AXN e passando para o Universal TV, assisto as séries Franquias de Chicago, Chicago Fire, P.D. e Med, mas esta última nem tanto, a que eu gosto mesmo é Chicago P.D.

Chicago P.D.
Temp. 07 – 20 episódios
Temp. 06 – 22 episódios
Temp. 05 – 22 episódios
Temp. 04 – 23 episódios
Temp. 03 – 23 episódios
Temp. 02 – 23 episódios
Temp. 01 – 15 episódios

Magnum P.I.
Temp. 02 – 20 episódios
Temp. 01 – 20 episódios

Com menos de vinte episódios não dá, é como eu penso. Antes assistia as séries somente pela tv por assinatura, agora também pelo Netflix.

Leitura fraca

Cada vez mais tenho menos vontade de abrir um livro, mas fevereiro li, até agora, três livros, um livro que não gostei muito, apesar de ter sublinhado algumas ideias que me chamaram a atenção, A Última Grande Lição de Mitch Albom onde os personagens são reais, o autor do livro e seu professor, e todos que o cercam.
Reli o e-book Despertar de Uma Submissa, de Tatiana Oliveira.
E comecei hoje o livro A Morte da Sra. Westaway de Ruth Ware, mas nestes primeiros quatro capítulos ainda não me empolguei, mas a história parece muito boa, e li há um tempo atrás, A Mulher Na Cabine 10, da mesma autora, e o Jogo da Mentira.
Editando o post.
O livro foi fantástico, aliás como todos os livros dessa autora. Então, até agora, repito o mesmo número de livros lidos em janeiro, três.