O que está acontecendo?

O Grêmio começou este ano mal, continuação do campeonato passado e todas as copas disputadas em 2020, perdidas, mas este ano, ainda com Renato, caiu da Libertadores, depois veio o Tiago Nunes, e continuou jogando mal, me surpreendendo negativamente, e agora o Felipão tenta fazer mágica para tirar o meu tricolor do rebaixamento, mas já deixou a Sul-Americana com derrota em casa, e continua patinando, e a direção namorando jogadores brasileiros ou outros, na Europa. Por que não do mercado sul-americano ou mesmo que joguem aqui? Um time não desaprende futebol, ainda mais jogando juntos há tanto tempo. Ouço que querem contratar jogadores que entrem na área e chutem, mas basta jogar vertical e chutarem, não ficarem jogando para os lados, porque aí vão depender de outros de fora. Basta chutar! Sinceramente não sei aonde o Grêmio vai parar, mas espero que saia do Z4 logo. Quanto a este campeonato, qualquer posição que não seja o Z4 está boa, o importante é reagir e ano que vem pensa-se em algo melhor.

Oi

Comecei a ler um livro, À Sombra de Uma Mentira, de Alex Marwood. Queria muito ler esse livro, livro que adquiri em junho, e que vem sendo minha primeira leitura desse mês. Pensei que fosse o único com dificuldades e vontade de ler, mas percebo que outras pessoas estão também com essa parada literária.
Vim para o centro porque na praia volta e meia cai a luz, e aqui acampado na minha casa.
Com teclado, que parece mais um enfeite, e ocupa um bom espaço, o notebook que é o que eu mais uso, um livro, já citado acima, e focado em tudo e nada ao mesmo tempo.
Hoje o dia esteve quente aqui em Pelotas, 29 graus anunciados. Saí de carro para dar um giro, e voltei, pelo menos dei uma passeada, e o clima estava ótimo, mesmo que saiba não ser para sempre.
Uma grande dificuldade para por um título nesse post.

A monareta e os óculos

Há muitos anos, quando criança, por volta dos dez anos, por aí, ganhei do meu pai uma bicicleta Monareta, azul metálica, azul forte, e o meu irmão uma verde. Eu não sei se já postei essa história. Naquela época eu já tinha que usar óculos, mas eu não gostava, e um dia fui andar de bicicleta na calçada, e estava uma ventania daquelas, e tão logo eu dobrei a esquina veio areia nos olhos e boca, aí eu voltei para o apartamento, peguei os óculos, fechei a boca e fui pedalar, não perdi o meu dia em função da natureza.
Lembrando daqueles anos, hoje, resolvi postar, e dali em diante, daquele dia em diante, nunca mais deixei os óculos.
Isso aconteceu na Praia do Cassino em Rio Grande/RS.

Um certo grupo e lembranças

Fazia um tempo que eu não usava tanto o Facebook como no dia de hoje, mas é que eu fui convidado por uma amiga, a Carmen Beatriz e resolvi aceitar, e passei a tarde curtindo, comentando, e recordando o passado de Pelotas e outros momentos, e com isso me divertindo com o grupo Olhares Sobre Pelotas – Grupo.
Recordações como A Banda do Colégio Gonzaga, tricampeã nacional, que salvei em foto, no meu computador, para poder recordá-la.

Pena que o editor mudou, antigamente bastava digitar sem complicações, postar foto ou se no HTML alguns comandos, hoje em dia, esse post ficou mais complicado, cada vez que entro nesse post para editar tenho que copiar o que, felizmente, salvei antes no bloco de notas, porque o WordPress resolveu complicar.
Por que deixar o simples se podemos complicar?
Não, WordPress, eu não gostei desse editor, poderiam ter deixado uma opção num canto qualquer para quem quisesse seguir pelo modelo antigo.
E eu seria um, já que gosto tanto do serviço, mas não dessa opção.

Outra foto

Canteiro central da Avenida Dom Joaquim aqui em Pelotas/RS, Brasil. Lugar onde muitas pessoas caminham ou se reúnem para conversar. Postando algumas fotos minhas que ainda não havia colocado no blog.
Depois de algum tempo deixei de sair para fotografar, o que para mim foi uma pena. Gostava muito!

DJq002_11A

***

Sigo lendo O Jogo do Ripper, de Isabel Allende, apesar que ontem não o li, porque ontem comecei o livro, e-book, Anne de Green Gables, de Lucy Maud Montgomery, e estou gostando muito.
Que tagarela a menina, como fala!

Evito ler dois livros ao mesmo tempo, já o fiz, mas com a chatice de um, e a vontade de ler, lendo dois, e me divertindo com o segundo.

Estudando

Hoje saí e comprei material como a velha cartolina para anotar nela o que já vi até agora, em cinco aulas, como teoria, escalas maiores e menores, acordes, claves, símbolos e notas musicais e outras coisas a mais, e paralelo a isso, venho buscando material na internet e imprimindo-os, assim como lendo tudo, mais de uma vez.
Na teoria até que me saindo bem, o ruim é quando tento passar para o teclado, aí não sei o que fazer nele, confesso, e amanhã marquei uma aula com uma professora de teclado para me dar uma orientação.
Teoria é uma coisa, teclado é outra, que nesses últimos dias minha mente está voltada apenas para o instrumento que eu escolhi, que às vezes fico repetitivo aqui no blog, e por isso peço desculpas.
Imprimindo muito.

***

Aqui em Pelotas, e não sei no resto do Brasil, teve muita gente comprando ingressos por antecipação para ver O Rei Leão, respeito a escolha de cada um, mas filmes para mim tem que ser com pessoas reais, não animados, mesmo que por trás haja artistas reais, famosos ou não. No momento, no cinema, nenhum filme dos que passam nas salas daqui, me atraem. À espera de um filme melhor para poder voltar ao cinema.

 

Chuva com café

Aqui em Pelotas, com chuva, pelo jeito as pessoas gostam de estar em cafeterias comendo e tomando alguma coisa, as que podem se dar a esse luxo.
Ontem eu tive que sair, resolver algumas coisas, e não sou da rua ainda mais com chuva, mas outros que estavam comigo resolveram parar para um café, uma chocolatada, enfim, e eu já saí pedindo uma fatia de musse, adoro tortas doces acompanhada de uma Coca-Cola, e foi o que comi e bebi. 
Era um local pequeno, mas estava cheio.
Quando saímos dali, paramos perto de outra cafeteria, e mais pessoas comendo.
Acho que a chuva abre o apetite, talvez por falta de algo melhor para fazer, e no intervalo de uma coisa e outra, param para comer e beber.
Será que é assim mesmo?

 

Minha noite de sábado

Não gosto de sair à noite, foi-se esse tempo, ainda mais nesse inverno fora do comum, rigoroso mesmo, e que está sobre o Rio Grande do Sul,  então como estou fazendo um curso de teclado, e tem programas espalhados pela internet, seja no YouTube, sites diversos, e Pinterest, resolvi, através das fotos do programa, aprender um pouco mais por ali, também, então estou olhando as fotos explicativas, como posso imprimir e fazer os exercícios, exercícios que vejo como um complemento para o aprendizado do curso, e eu ainda vejo o papel e a caneta como ferramentas de apoio para qualquer tipo de aprendizado, que sigo usando-os em meu benefício, assim como acredito que muitos outros também. Visite meu Pinterest clicando no link ao lado, Pinterest.

Editando:
Por mensagens recebidas do programa, por pins que dizem ferir a política de privacidade, esttou ali de me retirar e apagar minha conta, e o que fiz inicialmente foi apagar minhas pastas, deixando apenas a pasta Partituras, Teclado.

 

Frio

O frio que está fazendo aqui no sul é congelante, zero graus, dois, a mínima, e máxima treze, quinze, isso depois de uns dias de verão em pleno junho, apesar que os próximos dias estão prevendo máxima de vinte e sete graus. O tempo oscila demais, e sempre sobre para nós pobres mortais, pois temos todos os climas num único dia.
Não gosto do frio, minha estação favorita sempre foi o verão, com o frio eu me encolho, e sei que muitos outros pensam assim, mas tem muita gente que está adorando este clima assim, não sei como, mas tem.
Não sou do vinho e nem da lareira, logo esperar o inverno para apreciar um momento assim, não rola.
Também não sou de praia, de estar na praia pegando sol, mas verão apresenta outras opções, e gosto delas, mas enfrentar o clima gelado que está sobre o Rio Grande do Sul não dá. Nunca há roupa suficiente para agasalhar-se, e os ares condicionados estão aí, solução de momento.
Não curto aquele verão de quase quarenta graus, não gosto dos extremos, nem tão pouco desses dias gelados.

Spoiler

Spoiler é uma gíria que se refere à quando alguém revela informações sobre alguma parte de uma obra de ficção, como um livro ou filme, sem que a outra pessoa tenha visto antes. Essa palavra tem origem no verbo em inglês spoil, que significa estragar.
Fonte: Dicionário Popular

Há muitos anos atrás fui assistir a uma peça de teatro no Colégio Gonzaga, onde estudei grande parte da minha vida, Bailei Na Curva, quando sentou ao meu lado duas mulheres, uma sem nexo nenhum, pois passou o tempo todo antecipando as cenas para a amiga, para mim, e para todos ao redor, e só não busquei outro lugar porque realmente não havia.
Se alguém já leu um livro, viu um filme ou foi ao teatro, que respeite o próximo que quer descobrir cenas por si, mas que tem pessoas fora da casinha, ah tem mesmo.

Estava recordando esse fato hoje, e resolvi fazer dele o meu post do dia, agora da noite, mas respeito é muito legal.
Não faço resenhas por não saber, incrivelmente, e o pouco que tento, fico com medo de escapar algum spoiler, mas se acontecer, me perdoem.

Sobre Bailei Na Curva

Bailei na Curva é uma das peças de maior sucesso do teatro gaúcho. O argumento, roteiro e texto final são de Júlio Conte, baseado em improvisações dos atores Flávio Bicca, Márcia do Canto, Lúcia Serpa, Hermes Mancilha, Regina Goulart e Cláudia Accurso.

Do gênero comédia dramática, a peça foi escrita e encenada pela primeira vez em 1983, no Teatro do Ipê, com grande aceitação do público e da crítica. Depois disso, teve diversas montagens.

A peça conta com 48 personagens, interpretados por oito atores, quatro homens e quatro mulheres.

Fonte: Wikipedia

Cl16620 (Bailei Na Curva)

 

Feira

Estive hoje na FENADOCE, e levei comigo a Cláudia.
Fazia uns cinco anos que não ia a FENADOCE, de ruim, para mim, o acesso, no mais tudo bem, desde a organização para parar os carros até a feira em si, e o preço, não sei se hoje, estava bom, R$ 10,00 por pessoa, R$ 15,00 o carro.
Sou da época que o ingresso dava direito a um doce, hoje não mais. Paga para entrar, paga para comer, paga para comprar, por enquanto só não paga para sair.
Entramos por volta das 14h e saímos próximo das 16h30, e tirando o parque, que só paramos para olhar um brinquedo, abaixo, o resto vimos tudo.
O brinquedo que chamou a nossa atenção foi este abaixo.

Brinquedo

Havia uma placa proibindo cardíacos, pessoas com labirintite e outros, mas vi no final e não fotografei, essa foto saiu quando eles começaram a cair, e foi tão rápido, sorte que fotografei.

Vimos um show da terceira idade, muito bom, tanto a regência quanto o coral, só não sei o nome, pena que minhas fotos não mostram mais, e ainda por cima saem um pouco tremidas. Fotos de smartphone.

Espaço Musical2

Tinham muitos painéis assim como escolas, e nesse, em especial, muitos querendo fotografar, mas quando esvaziou, fiz a minha foto.

Painel Sete de Abril2

A outra foto que fiz, fiz algumas, é esta abaixo, não gosto que apareçam rostos que poderão não gostar, mas estou numa feira e fica impossível evitá-las.

Feira (Claudia)2

Fiz outras fotos, mas bastam estas.

Foi uma tarde agradável.
Comprei um cobedron, mistura de cobertor e edredon, assim como também trouxe doces para casa.
A Feira termina domingo, e restam poucos dias para quem ainda não foi visitá-la.

Partida Sta. Catarina

Pelotas, 10 de março de 2019

Saímos da Praia do Laranjal às 5h30 da manhã e chegamos às 20h.
Viajamos em cinco pessoas, eu, meu irmão e minha mãe num carro manual, Citroen C3, e a namorada do meu irmão e a acompanhante de minha mãe numa Mercedes Benz ML 350 automática.
Motoristas da viagem, Alvaro e Marieli.

Paramos no Paradouro Gral no RGS para descansarmos um pouco.
Abastecemos nossos carros ao longo da viagem umas quatro vezes para não deixar o tanque ficar vazio, nem na reserva.
Ainda no RGS paramos em Maquiné onde fiz algumas fotos, pois não conhecia o lugar.

Maquiné2

Já em Santa Catarina paramos na Havan de Araranguá onde almoçamos e fizemos compras. Depois dali seguimos viagem e só fomos chegar a Itapema à noite, mas foi uma viagem bonita e tranquila, porém cansativa.

Pesquisa

Aqui em Pelotas, no bairro Laranjal, nossa praia, há uma avenida chamada José Maria da Fontoura, inicialmente encontrei um blog chamado Blog Sangue Palmeiro, mas não se trata do mesmo, ao que parece, pois sigo investigando e este acho que é daqui mesmo.
Editei o blog, e paro por aqui.
Volto a postar quando tiver o conteúdo em mãos.

Quis apenas deixar registrado em meu blog e deixei essas poucas linhas. Se eu encontrar mais a respeito ou se meus amigos souberem mais, me informem. Obrigado.

Preocupações

Aqui em Pelotas, na praia, as árvores, já velhas, já com muito tempo de vida, apodrecidas ou quase, a cada ventania, vem caindo, pondo em risco a vida de pessoas, apesar que, graças a Deus, não teve vítimas, mas uma propriedade atingida em parte, comércio, mas o que me põe em alerta é que os órgãos responsáveis não avaliam, não tiram estas árvores porque nelas há ninhos de caturritas.
Vão esperar que ocorra uma tragédia? É o que estão esperando?
Não poderiam deslocar os ninhos para um outro espaço, natural também, e tranquilizar as pessoas, proprietários?
Realmente preocupado.
Nada aconteceu a minha casa, mas há uma árvore que se cair, pode prejudicar muito.
Estou fazendo obras, melhorando o que é meu, e pela frente este perigo, imediato ou não. E outros tantos por aqui.

Pontal da Barra

Eu e minha mãe já conhecíamos o Pontal da Barra, aqui na praia do Laranjal, em Pelotas, mas a Cláudia, funcionária da minha mãe, ainda não, e eu acabei indo lá para mostrar para ela.
Na praia deram a minha mãe um panfleto de um restaurante no Pontal, Do Nani, e acabamos indo lá e comprando siri na casca, bolinho de peixe e polentas. Muito bem servido, e bom. No intervalo fiz algumas fotos e coloquei na rede social Instagram e Facebook.
Um passeio rápido durante a manhã, e a manhã estava convidativa, hoje sem sol, sem aquele calor todo.
Já fiz post a respeito.
Tudo começou hoje devido a irmos buscar o bolo do meu aniversário, e depois que eu trouxe em casa, saímos novamente para passear, e fomos até lá, e todo o passeio é sempre bem-vindo.

Pontal da Barra

 

Brasil e Rio Grande do Sul

Acabaram as eleições e Jair Bolsonaro, meu candidato, foi eleito presidente do Brasil. Parabéns para ele e para o país. Que Deus o abençoe, proteja, e dê forças para ele fazer um excelente governo.

Da mesma forma parabenizo Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, e torço para que o jovem Eduardo leve o Rio Grande a seu lugar de destaque, e faça um excelente governo.

O país, o Rio Grande do Sul, precisavam mudar, agora é torcer para que o país e o meu estado tomem o rumo certo, porque como estava não dava mais.

bandeirars_rgsul

Os e-books de agosto e eu

Em agosto li seis e-books, todos listados abaixo, sendo o último do mês, de Agatha Christie, A Casa do Penhasco.
Andei lendo, também, pelo smartphone, já que baixei o aplicativo da Amazon, o e-book Onze Formigas, de Alec Baurer, mas descobri que se eu leio no e-reader, não aparece como lido no smartphone, o contrário também é verdadeiro, e minha preferência de leitura é pelo e-reader.

Os livros lidos

Malas, Memórias e Marshmallows
(Fernanda França)

O Deslize
(Vincento Hughes)

Morte Na Lua de Mel
(Jaden Skye)

Onze Formigas
(Alec Baurer)

Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre?
(Sophie Kinsella)

A Casa do Penhasco
(Agatha Christie)

***

Estive em Porto Alegre com minha família, porque minha mãe precisou operar o fêmur, e passamos uma semana fora.
Lá fiquei longe do meu blog e de outros sites que no computador costumo usar com mais frequência, fiquei mesmo com o Instagram e o Facebook, por rede móvel, mas não gosto de usar a internet pelo smartphone, apesar de usá-lo, e gastar os braços, não tem a mesma facilidade de um computador e de tudo que ele pode oferecer para simplificar a vida do internauta, ou minha, e cheguei a lamentar em não levar o meu.

Ao estilo Agatha Christie

Estarei em Porto Alegre nessa segunda, minha mãe vai operar o fêmur e quero ter alguma coisa para poder me distrair no tempo que eu ficar por lá, que espero seja breve, e resolvi pesquisar alguns livros para baixar para o meu Kindle, de uma forma que eu nunca fiz antes, ou seja, do preço mais barato para o mais caro – Ordenar por: preço baixo a alto -, e assim os e-books gratuitos foram os primeiros a aparecer, e acabei comprando um e-book que parece bem bom, pela sinopse, Morte Na Lua de Mel, de Jaden Skye, e O Deslize, de Vincento Hughes, e este último livro baixei uma amostra para poder ver se ia gostar do livro ou não, e tanto gostei que acabei adquirindo, saiu por R$ 1,99, um bom preço para uma história ao estilo Agatha Christie. No momento que escrevo este post, já estou com 71% da leitura concluída. Ficam como minhas dicas.

Cl16020 (O Deslize, Vincento Hughes)

Evento

Ontem em Pelotas apresentou-se a Esquadrilha da Fumaça, pelo centésimo aniversário do 9º Batalhão de Infantaria Motorizada, e foi um povo na Praia do Laranjal, e uma grande apresentação dos ases do espaço.

Eu tirei algumas fotos, mas também por falta de equipamento, lente inclusive, e outras, nenhuma apresentável, mesmo assim, posto uma.

Esquad da Fumaca002

Eu e minha mãe amada fomos para a praia às 13h20 e só conseguimos retornar para a casa às 21h05. Tudo devido ao grande engarrafamento ao final do evento, para todo o lado um engarrafamento. Como não tínhamos como sair cedo resolvemos ficar na casa da praia, ali mesmo no Laranjal, e mesmo assim demoramos uma hora para chegarmos lá.

Não podemos depender apenas de uma estrada, precisamos de outras vias a serem construídas, mas quando tentaram, no passado, o meio ambiente vetou. Inacreditável, não é?