Dando um jeito

Ainda ando parado, longe do teclado, salvo, e nem deveria, o do Whatsapp, mas hoje fui ao Shopping Pelotas, depois de muito tempo, para comprar cartuchos para a minha impressora Canon – não encontrei – e acabei comprando um teclado, mouse e um mini hub usb, todos da marca Bright, de todos não gostei do teclado, das teclas do teclado, mas funciona, o mouse parece bom, e o mini hub não experimentei. Comprei-o porque não sabia se as portas USBs estariam funcionando no notebook, e parece que sim, portas que antes não funcionavam com mouses antigos. Nesse período li bastante, seis livros em agosto, outros seis em setembro, mas em outubro, até agora, apenas dois, livros novos e muitas releituras. Eis os livros, apenas para ficarem registrados. Todos os livros de setembro foram releituras.

Agosto: A Suspeita (Nora Roberts), O Abrigo (Nora Roberts), Objetos Cortantes (Gillian Flynn – Relido), A Herdeira (Daniel Silva), A Mulher Enjaulada, (Jussi Adler-Olsen – Relido), Quando O Amor Bater À Sua Porta (Samantha Holtz – Relido).

Setembro: Atrás da Máscara(Perséfone), A Verdade Oculta (Juliana Dantas), Quando À Noite Cai (Carina Rissi), O Homem Perfeito (Lisa Gardner), No Mundo da Luna (Carina Rissi), Deliciosa Lição (Pri Ferraz).

Outubro: Doce Veneno (Nora Roberts) e A Filha (Jane Shemilt – Relido).

Trouxe comigo ainda mais dois livros, releituras, mas ainda não os abri.

Leituras de julho

Em julho li dois livros, À Sombra de Uma Mentira, de Alex Marwood, e O Testamento, de Nora Roberts, e ali de comprar o livro A Suspeita, de Nora Roberts.
Sigo com os meus problemas de esforço repetitivo, dores fortes nos ombros em função de muitos erros. Um é que não consigo evitar de vir ao computador ou quando li o último livro, ter lido deitado com o livro para cima fazendo forças aos braços.
Agora as dores que estavam só nos ombros vem alcançando também os cotovelos, são velhas dores minhas. Ou estou pelo computador ou smartphone.
Tecnologia que é muito boa, mas que estraga também.

Sinto vontade de escrever mais, outros posts, mas por enquanto, nessa fase, nem pensar.

Filmes e livros

Não posso escrever como gostaria, então fica uma atualização do que vi no domingo e li no mês, 23 livros no ano. Não estou podendo vir devido as fortes dores nos dois ombros, velhos problemas, e poucas ideias, mas visitando os blogs.

Os três filmes que eu vi hoje na tarde desse domingo foram esses.

Terapia de Risco, Céus Turbulentos, que já havia visto, e Floresta Maldita. Vi mais alguns filmes e séries, mas encerrei o domingo agora à noite depois desses três filmes. Em julho li apenas um livro que queria ler muito, À Sombra de Uma Mentira, de Alex Marwood. Tentei começar um outro, por duas vezes, e não consegui. É o livro A Herdeira, de Daniel Silva. Uma hora sai a leitura. Lendo muito pouco nesse ano.

 

Foi um rio que passou

Foi um rio que passou em minha vida e meu coração se deixou levar.

Texto da música Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida, de Paulinho da Viola.
Sobre a compra do labrador.
Não me adaptei, tentei, mas não deu, e ele seguiu para a casa de uma prima onde duas labradoras o esperam. Tive a minha experiência, e não deu, então é daqui para frente.

Agora quanto a mim, já estava melhor do joelho, mas nesse último dia minha dor se manifestou, vamos ver como fico, mas hoje, ou mais tardar amanhã, pretendo seguir com o tratamento, nesses dias não pude fazer o mesmo, a partir de hoje já pretendo retornar, assim como no meu dia a dia.

Filmes do domingo

Passei à tarde de hoje vendo os filmes, O Agente, com Wesley Snipes, filme de 2007, que eu já havia visto, mas muito bom assistir um filme de ação, veja sinopse aqui, e Antes Que Eu Vá, filmaço, com Zoey Deutch, drama, uma menina que revive seu último dia tendo a oportunidade de mudá-lo. Sinopse aqui.

Cl16878 (Filmes)

***

Com todo mundo tendo que manter-se em casa, preocupante esse momento que vivemos, temos algumas opções, leitura – sigo parado nas quatro de março, – estudo, que foi o que fiz durante a semana, estudei teclado, tive aulas pelo Skype, e usei também a internet que anda lenta demais, talvez pela quantidade de pessoas que a vem usando nesses dias.

E como outras pessoas me assusto, também, quando tenho que sair para repor alguma coisa para casa ou alguma outra ação qualquer.

Que Deus nos abençoe desse mal!

 

Olá

Bom dia amigos, para outros boa tarde, quem sabe.
Verão se aproximando, e amo essa época do ano, esse fim de ano.
Passando mesmo apenas para deixar um alô a todos.

Sem ideias ou vontade para postar, e com uma dor chata no ombro direito, mas nada de fisioterapia ou não agora.
E já na praia.
Os dias, ultimamente, estão bonitos, quentes, então resolvi começar mais cedo esse verão.

Esse blá blá blá vale como post?
Abraços a todos!

Todo Mundo Sofre

Médicos Sem Fronteiras (MSF) é uma organização humanitária internacional independente e comprometida em levar ajuda às pessoas que mais precisam sem discriminação de raça, religião ou convicções políticas.
Fonte: 99Jobs.com

Clique na foto para saber mais a respeito do que eles fazem e como podem ajudar.

Cl16678 (Médicos Sem Fronteiras)

Everybody Hurts

When the day is long
And the night, the night is yours alone
When you’re sure you’ve had enough of this life
Hang on

Don’t let yourself go
‘Cause everybody cries
And everybody hurts, sometimes
Sometimes everything is wrong
Now it’s time to sing along
When your day is night alone (hold on, hold on)
If you feel like letting go (hold on)
If you think you’ve had too much of this life
To hang on

‘Cause everybody hurts
Take comfort in your friends
Everybody hurts
Don’t throw your hand, oh, no
Don’t throw your hand
If you feel like you’re alone
No, no, no, you’re not alone

If you’re on your own in this life
The days and nights are long
When you think you’ve had too much of this life
To hang on

Well, everybody hurts
Sometimes, everybody cries
And everybody hurts, sometimes
But everybody hurts, sometimes
So hold on

Hold on
Hold on
Hold on
Hold on
Everybody hurts
You’re not alone

R.E.M.

 

Alguns dias sem vir

Afastado devido as dores nos ombros e cotovelos, velhas dores antigas que me acompanham, e fortes, quando passo da conta por aqui, mas melhorando volto para curtir e comentar no blog de vocês. Deixei alguns posts programados na semana passada, então vão curtindo aqui, e, os que quiserem, comentando.

 

Oi

Não escrevo há alguns dias, para mim muito, e nem vinha hoje ao computador, mas meu horário vem fugindo do convencional, e quando entrei, para relaxar, olhar meu blog, rede social, e-mail, acabei no YouTube olhando um vídeo dica, muito importante, nesse momento, para mim, do Descomplicando A Música, Toque milhares de músicas no teclado com esses 4 acordes.

Nem um nome de post melhor tenho ideia para deixar, mas pelo menos um cumprimento aos amigos, já que venho também comentando pouco, devido as minhas dores.

Quantas as histórias que eu gosto de ler, em e-book, tenho duas, mas não estou inspirado para ler. Eu que gostava tanto da leitura, que tão logo comprava um novo e-book, antes livros impressos, e já saía lendo, nos dias atuais está tudo muito parado. Os livros existem, mas a vontade não.

Nesses últimos dias recebi dois livros, os dois últimos livros encomendados, Entenda A Escrita Musical, de João Batista de Lima, muito bom, e Hanon, O Pianista Virtuoso, de Henry Lemoine, com bastante exercícios.
Minha leitura está voltada para dois desses livros de teorias, já os de exercícios, pelo menos estes exercícios, por começar.

Complicado

Teclado não é só para seis meses, complicado, mais ainda em tornar minhas mãos independentes uma da outra, sei que é necessário treino, mas confesso que não sei como ter um método de ensino em casa, fora o curso que faço, os livros que eu mando vir, o material que baixo da internet, assim como os vídeos que vejo nela e no curso.
Preciso treino e mais, saber o como treinar.
Ontem vi um vídeo no YouTube de um cara tocando ao piano, Crocodile Rock, a música que me trouxe para o teclado.
Será que um dia eu conseguirei tocá-la? Ou a qualquer outra?

***

Com problemas de lesão de esforço repetitivo, cotovelos e ombros. Os velhos problemas de volta, e bem numa hora ruim, num momento que estou querendo aprender teclado.

 

Um desconforto, um recomeço

Pois é, meus amigos, na noite de sexta para sábado eu estava sentindo um desconforto no peito, nada de mais, não conseguia dormir e ficava virando de um lado para o outro, aí resolvi ler alguma coisa, e como não estava com o wi-fi ligado para ler a sequência do livro do Harlan Coben, A Toda Prova, escolhi um e-book que já havia começado, mas que não gostei no começo, e ainda não me inspira admiração, Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, e nessa madrugada, e agora, adiantei bem o livro, parando em 67% ou capítulo 45, para começar a ler, e como é uma história, para mim chata, vou muito devagar, mas pelo jeito está chegando ao seu final, algumas horinhas a mais, pelo Kindle Paperwhite, e restam um pouco mais de sete horas para que eu o conclua.
Já li outras histórias chatas assim, e aos trancos e barrancos cheguei ao final, essa caminha para tal, mas o tempo que levou, que vem levando, faz com que alguns personagens do começo, enredo, eu esqueça, mas os principais ainda guardados na memória, mas como cada um tem uma opinião, antes de comprar o livro leia algumas resenhas para saber se vale a pena, porque, por mim, não o indico.

 

Números, escritos e dores

Escrevi 725 posts e tenho dois agendados, 563 comentários, o que acho muito pouco, podia ser mais, mas tudo bem, e 203 seguidores.
Quando comecei o blog não me importava com quantos iriam me seguir, e aos poucos, e entre um oi aqui e outro ali, foram se aproximando do meu blog, e ele vem crescendo. É um canto pessoal, mas as pessoas vem vindo, como eu também vou chegando, curtindo e comentando.
E daí conhecendo outras pessoas, mesmo que virtualmente.
Quando não sei o que comentar ou não compreendo o assunto do post, poesias, por exemplo, visito e curto, mas quando são sobre livros, filmes, músicas dos anos 70 e 80, coisas minhas, lembranças em comum, talvez, aí eu comento.
Salvei até agora em meu computador 544 posts.
Certamente este será o post de número 726.

Quando era adolescente gostava de escrever algumas poesias e principalmente meus faroestes. Nunca publiquei nada, mas tenho todas as histórias guardadas com carinho, minhas lembranças.
O gozado é que naquela época as minhas dores eram nos dedos, porque escrevia à caneta, hoje em dia e com o uso do computador, as dores alcançaram ombros, cotovelos, as costas pela má postura, e mãos, e quando vem, quando elas surgem, sou obrigado a dar uma pausa.

Mas o que tem um post que começa por números, a estatística do meu blog, até agora, com meus escritos e minhas dores? Nada, mas é que uma história levou a outra, e virou um post.

 

Tudo menos esportes

Estou olhando muitos sites na internet, tentando aprender, e tocar pedacinhos de músicas para não ficar com o teclado apenas fazendo barulho das notas, toquei Cai Cai Balão, Parabéns A Você, e o comecinho de Shallow, minha preferida, pelo menos para ouvir que toquei, mas com um quê, não consigo tocar com as duas mãos juntas, nem sei se isso vai acontecer algum dia. Coordenação entre as mãos.

Também resolvi tocar a história que estou lendo, A Garota Alemã, de Armando Lucas Correa, duas histórias, uma que ocorre em 1939 e outra em 2014, ligadas por sangue. Quase no final.

Em época de Copa América venho assistindo alguns jogos, e hoje joga o Brasil. Brasil X Venezuela, e sem desmerecer o adversário, por mais que digam que não é o mesmo selecionado, que melhorou muito, ainda acredito na nossa seleção, não que eu morra de amores pela seleção brasileira, porque a verdade é que não, não essa, e venho ouvindo, também, que os estádios não estão lotando, mas lotar como com os preços dos ingressos nas alturas?
Deviam ter pensado melhor.

Estou dando espaço para várias coisas ao mesmo tempo, coisas que eu gosto, menos duas coisas, sair mais e me exercitar, que seja uma caminhada mesmo, que nunca gostei, mas que uma hora vou ter que encontrar espaço.
Momentaneamente com dores estranhas em meus pés, já fiz exame, ultrassom, mas nada foi verificado, mas como mencionei dores nas costas, a médica relacionou algum nervo na coluna que pode atingir determinada região dos pés, e pediu para eu investigar.
É só o que me faltava.
Nunca fui fã de esportes, nem na vida colegial, muito menos agora adulto, mas algo precisa ser feito. Só não quero retornar ao pilates, no momento, nem a nenhuma academia.
Caminhada basta.

 

Segundo e-book

Terminei hoje meu segundo livro, e-book, do mês de junho, Sangue Frio, de Robert Bryndza, minha quinta história da detetive Erika Foster. Gosto muito de histórias policiais, e tenho fases, às vezes leio Agatha Christie, outras Blake Pierce, e também Robert Bryndza. Varia.

Sinopse:
A detetive Erika Foster fica espantada quando uma mala contendo o corpo desmembrado de um homem aparece na margem do rio Tâmisa. Mas não é a primeira vez que ela vê um assassinato tão brutal. Duas semanas antes, o corpo de uma jovem havia sido encontrado em uma mala idêntica.
Quando Erika e sua equipe começam a trabalhar, logo percebem que estão seguindo o rastro de um serial killer. O número de corpos aumenta, e o caso fica ainda mais grave quando as filhas gêmeas do Comandante Marsh, colega de Erika, são sequestradas. Será que Erika conseguirá salvar a vida de duas crianças inocentes? O tempo dela está se esgotando, e ela está prestes a fazer uma descoberta perturbadora.
Fonte: Amazon

Cl16591 (Sangue Frio - Robert Bryndza)

Os livros que eu li de Robert Bryndza: Sangue Frio, O Último Suspiro, Sob Águas Escuras, Uma Sombra Na Escuridão e A Garota No Gelo.

Agora a espera de Segredos Mortais, o sexto livro da série da detive Erika Foster, por enquanto na edição em inglês.
Para cometer o homicídio perfeito é preciso ter o álibi perfeito.

Cl16592 (Segredos Mortais - Robert Bryndza, Livro 6)

Não sei se por ter acabado um livro há minutos, mas mesmo de óculos não visualizo muito bem a tela, não sei se a claridade ou tudo.

E finalmente o Grêmio saiu da zona de rebaixamento, não sei se vai manter-se fora, espero, mas tem time e tem que mostrar a cara, e mostrar que este time tem camisa, superar-se dentro das quatro linhas, porque só discurso não dá, tem que ter bola também.

 

Dia das mães

Hoje domingo, 12/05, é o Dia das Mães, nossas carinhosas e amadas mães, presentes ou não.

Cl16529 (Rosas)

A minha segue hospitalizada.
O médico queria dar alta nesses dias, mas prefiro que quando ela saia, saia bem e pronta para seguir com seu tratamento em casa, e possa se cuidar bem.
Desejo a minha mãe e a todas as mães um domingo cheio de paz e amor e muita saúde, e que Deus abençoe a todas elas.

Mãe é tudo para cada um de nós, Mãe é vida, pelo menos a nossa, a de cada um, é alimento, é carinho, caminho, abraço. Eu amo a minha, e cada um de nós, a sua. Viva o Dia das Mães.
(Comentário que fiz no Pitacos e Achados e resolvi reproduzir em meu blog)

Um Feliz e Abençoado Dia das Mães!!!

Chocolate, quem não gosta?

Adoro chocolate, e não consigo comer apenas um pedacinho por dia, como algumas pessoas que eu conheço fazem, e tendo uma barra aqui, como em minutos, e se duas barras, as duas. É um perigo, porque minha mãe – que segue hospitalizada, mas graças a Deus melhor – é diabética, mas entre o doce e o salgado dou preferência sempre ao primeiro, o que pode ser um perigo, mas também e do meu jeito, procuro me cuidar, e você, qual a sua preferência, doce ou salgado? E consegue se controlar com o chocolate?
Nessa Páscoa eu até tentei, por um ou dois dias consegui, mas depois a vontade foi forte e devorei a caixinha, comprei uma na Páscoa, mas já havia comido duas uma semana antes.

Cl16497 (Chocolate)
Chocolate é uma das delícias da vida, da minha. Seria também da sua? 

Editando…
Meu pai

Nesta data meu pai estaria comemorando 91 anos
, lembrei muito dele no dia de hoje. Ele que nos deixou aos 80 anos de vida, e nos últimos anos a doença o atingiu de cheio, e a nós todos, porque as doenças matam um pouco de cada um de nós, familiares.
E todos os anos, mês a mês, rezo uma missa por ele.
Apenas um registro, uma recordação, que para mim é muito importante.

 

Reeducação alimentar

Vendo o problema que minha mãe está vivendo, o problema do rim, a hemodiálise, resolvi me reeducar, ainda como carne, mas nem todo o dia, e uma alimentação mais saudável, porém ainda sigo tomando pouca água.
Estou gordo e tenho que diminuir, mas confesso, não gosto de caminhar, de me exercitar, pelo menos sem uma companhia.
Fiz um exame de sangue antes de viajar para Santa Catarina, o passeio que fizemos, e a ureia deu levemente acima do limite, o que já me colocou de guarda.
Ou sigo pelo caminho dela ou dou um jeito.
Tentando mudar, sem exagerar, mas não vou procurar médicos ou nutricionistas. Vou por mim, vou com calma.
Não quero ser como aquelas pessoas que se socam na academia em busca de forma, quero apenas ficar mais saudável, com saúde equilibrada.
E que não seja apenas um post.
Estou tentando.

Há um tempo atrás pensei em fazer Stand Up Paddle, a falta de equilíbrio não deixou. Pensei em fazer caiaque, mas nunca tentei. Para mim o mais fácil seria uma caminhada em dois, no mínimo, e chega, mas tentei uma vez e não me senti bem. Caminhada não me faz bem. Para uns fazem, a maioria, para outros, como eu, não.

 

Orações

Minha mãe segue hospitalizada, e eu preocupado com ela, claro, eu e o meu irmão, todos nós ao redor dela, a diálise peritonial foi suspensa, por ora, e agora ela vem fazendo hemodiálise, mas segue inchada. Hoje eu vi melhoras nela, mas ainda inspira cuidados, e muito.

Seguimos em oração por aqui, e peço aos amigos que por aí.

Venho entrando na internet porque é o meu momento de calma, de relaxamento, e venho rezando bastante e acendendo velas virtuais pelo site do Pai Eterno, Velas da Fé. Gosto muito deste site, e mais de uma vez já deixei o link deles em meus posts.

Hoje levei para o hospital o e-book E Não Sobrou Nenhum, de Agatha Christie, no meu Kindle Paperwhite. Não vai para frente a história. Li um ou dois capítulos e parei de novo. Deu aquele sono, talvez pela falta dele nestes dias que venho dormindo mal, talvez pela história não ter agradado até agora, ou por este não ser mesmo o ano da leitura. Não ia conseguir ler, sempre, como via lendo em anos anteriores.

Posts programados

Estou com problemas, não referente a minha saúde, apesar de ter algumas dores musculares nos braços, mas a de minha mãe que está hospitalizada, baixou hospital ontem, e terá que fazer um tratamento mais rigoroso, diálise peritonial, para uma pessoa da idade dela, 83 anos, é problema. Para a dela e para a nossa. Então meu pensamento e preocupação estão com ela, sempre com ela.
Programei meus posts quando cheguei, quando ainda acreditava que estava tudo bem, mas mudou, e no momento venho vindo pouco ao blog, entrando todo o dia, mas sem a mesma importância.

Oi, boa noite

Levei para Itapema o meu leitor digital, nem abri, agora minha mãe baixou hospital hoje, e trouxe-o, cheio de livros digitais baixados ano passado, mas não sei se vou ler, será que estou perdendo aquela vontade louca de ler, que tive nos anos de 2016, 2017 e 2018?
Sei que a resposta é somente minha, mas em dezembro 2018 e janeiro 2019 li somente três e-books, e nunca havia lido menos de quatro ao mês, apesar que fevereiro 2019 foram lidos seis, mas nos anos anteriores mantinha o padrão mês a mês, ano passado já escrevia que não tinha mais aquela vontade de ler, e este ano vem se concretizando. Não consigo nem mesmo abrir um e-book, começar a ler uma história.
Se tiver que fazer alguma coisa, ler não é nem a primeira, nem a segunda opção, e com certeza março vai passar em branco, sem leitura nenhuma, o que é uma pena.

 

E-book adquirido

Estava criando um post com uma lista de livros que pretendo comprar, programado para o dia cinco, quando coloquei na lista o e-book A Outra, de Juliana Dantas, mas por estar com preço bom, R$ 5,99, apaguei do post e o comprei.

Cl16403 (A Outra, Juliana Dantas)

Esta será a quarta história digital que eu vou ler dela, todas compradas na Amazon.

***

Nesses últimos dias venho com uma dor muito chata no pé direito, e com o feriado do carnaval e minha viagem chegando, ou faço o exame, se complicar muito, em Santa Catarina, ou deixo para a volta. Sei que tenho fascite plantar, mas sobre o pé, na região dos tendões, acho que é outra coisa. Caminho bem, mas sempre com uma dorzinha na região, às vezes mancando.
É só o que faltava.
E dia sete, dentista. Tudo resolveu vir junto, e às vésperas da viagem, que nada me atrapalhe o meu, e o passeio da família.

Velas da fé

Há um site que eu gosto muito que é o site do Divino Pai Eterno, e nele, as Velas da Fé, e muitas vezes me vejo acendendo uma vela, pedindo que minhas orações sejam atendidas.
Já fiz um post sobre as Velas da Fé, e volto a postar sobre elas.
Sugiro a vocês visitarem o site, deixarem seus pedidos, um ou mais, mostrando a intenção ou não, eu não mostro, fica só para mim.
Particularmente já acendi muitas velas virtuais, e quando vejo necessidade abro o Pai Eterno e deixo minhas intenções, mas tem momentos que me sinto mais pedinte que em outros, não sei se com vocês também, nem se são católicos como eu, mas isso não importa.
Acredito em Deus, mas ultimamente me sinto um pouco falho com Ele. Já estive mais presente na vida da igreja, mas tentando voltar.
Rezo muito é a oração de Maria Passa Na Frente.

Parada

Por volta dos dias 20, 21/12,  li meu último livro, digital, Minha Doce Menina, de Lucy Benton, e de lá para cá, nada mais foi aberto, livro nenhum me interessei por ler, mesmo tendo alguns aqui, três impressos e outros digitais.
O fato me me preocupa.

Agora que estou com mais tempo para ler meus livros, na praia, dou esta parada literária, mas estou as voltas com obras na casa.
Parado com os livros, meu prazer, mas não com o movimento das obras, e tudo o que gira em torno dela.

E sigo com dores nos ombros e principalmente no cotovelo esquerdo, ah o velho cotovelo, os velhos problemas. O certo seria digitar o mínimo, se conseguisse, mas passo por cima de certas recomendações médicas, e sempre presente por aqui.

Pelo menos para março estou programando uma viagem para Santa Catarina com a família, novos rumos, fotos, lugares, e posts.

É isso!

Praia

Hoje vim para a praia, verão chegando, e comemoro o meu aniversário aqui, quando posso, ano passado em função de saúde na família, minha mãe, e a operação dela, fêmur, não saímos, mas este viemos e vamos aproveitar, mas o que me chamou a atenção foi o cansaço físico após carregar e descarregar as malas, a ponto de não poder me dobrar, de tanta dor, e venho fazendo pilates já há um mês. Ou foi a carga, ou chega esta época, e ao contrário de muitos, como mais, talvez o conjunto da obra fez com que o resultado fosse o pior possível.

Também o calor estava demais, agora à noite enquanto posto, 27º, durante o dia, trinta e poucos graus.
Meu post hoje é bem um diário, mas foi a rotina, ou parte dela, do meu dia, e o resultado não foi o esperado.
Amanhã, aqui, pilates, e vamos ver!

Ao estilo Agatha Christie

Estarei em Porto Alegre nessa segunda, minha mãe vai operar o fêmur e quero ter alguma coisa para poder me distrair no tempo que eu ficar por lá, que espero seja breve, e resolvi pesquisar alguns livros para baixar para o meu Kindle, de uma forma que eu nunca fiz antes, ou seja, do preço mais barato para o mais caro – Ordenar por: preço baixo a alto -, e assim os e-books gratuitos foram os primeiros a aparecer, e acabei comprando um e-book que parece bem bom, pela sinopse, Morte Na Lua de Mel, de Jaden Skye, e O Deslize, de Vincento Hughes, e este último livro baixei uma amostra para poder ver se ia gostar do livro ou não, e tanto gostei que acabei adquirindo, saiu por R$ 1,99, um bom preço para uma história ao estilo Agatha Christie. No momento que escrevo este post, já estou com 71% da leitura concluída. Ficam como minhas dicas.

Cl16020 (O Deslize, Vincento Hughes)