25 de abril

Eu não sinto vontade de postar, mas para não passar tanto tempo sem deixar nada e misturando os assuntos, finalmente tomei a primeira dose da vacina contra a covid-19, e aguardo ansiosamente pela segunda, da mesma forma que muitos, ainda, pela primeira.
Não vejo a hora dessa pandemia acabar.
Às vezes aqui na praia falta luz, e quando volta é aquela gritaria de felicidade porque a luz voltou, como se fosse um gol, imagino, ou tento imaginar, quando cessar essa praga, como será o grito de cada um de nós no mundo.

O Grêmio está de técnico novo, finalmente!
Não aguentava mais o estilo do técnico antigo. Saiu o treinador, ficou o ídolo. Ponto.
As conquistas passadas estão no armário, Copa do Brasil 2016 e Libertadores 2017. Que venham novas.

E sigo cada vez mais vendo séries e mais séries no Netflix.
Ponto Cego, Unidade 42, Retaliação, Warrior Nun, À Louva-A-Deus, Marcella, DeadWind, Capitani, Wanted, Emily Em Paris, Ginny E Georgia, Marvel: Jessica Jones e Bordertown.
Em negrito, completas, cada uma com três temporadas.

Hoje fui à missa, senti necessidade de estar presente, e fui, liguei para a igreja, dei o meu nome e compareci. A Igreja está em obras e só pode receber 25 pessoas por missa, mesmo assim faltaram alguns.
Aqui na praia tem igreja, mas eu me sinto bem na Igreja do Porto, a Paróquia Sagrado Coração de Jesus. Recebeu o apelido do Porto porque fica no bairro de mesmo nome.

Pelotas

Caminhando por Pelotas
Lembrei de quando eu nasci,
Um quarto da Santa Casa,
O palco do Guarany.

Contei paralelepípedos
A caminho da escola,
Sonhei ladrilhos hidráulicos,
Paredes de escariola.

Pião, bolinha de gude
Pandorga, ioiô, gibi,
Bici, carrinho de lomba,
Eu sou o mesmo guri.

Comi tanta pessegada,
Fios de ovos e bem-casados,
E pastéis de Santa Clara,
Que fiquei cristalizado.

E voei até a praça
Passei no Sete de Abril,
Os pardais faziam festa,
Naquela tarde de frio.

Tomei um café no Aquário
Bem quente pra ver se aquece,
Agradeci obrigado,
E a moça disse merece!

Andei até na Avenida
Entrei na Boca do Lobo,
Fui até à BAIXADA,
Pois era dia de jogo.

Naveguei pelo Porto
Fragata e Areal,
Três Vendas e São Gonçalo,
E Praias do Laranjal.

É muita guria linda
Eu fico até espantado,
Nunca vi tanta beleza,
Por cada metro quadrado.

O vento nos teus cabelos
Desenha outra escultura,
Junto à Fonte das Nereidas,
E aos traços da arquitetura.

Terra de todos meus sonhos
Princesa do Sul bonita,
O meu amor não tem fim,
Como uma rua infinita.

Pelotas minha cidade
Lugar onde eu nasci,
Ando nos braços do mundo,
Mas sempre volto pra ti!

Fonte: Letras.Mus

Gosto muito das músicas de Kleiton & Kledir, e muito mais dessa, da letra, inclusive, então tinha que deixar esse post aqui.

Dando um jeito

Ainda ando parado, longe do teclado, salvo, e nem deveria, o do Whatsapp, mas hoje fui ao Shopping Pelotas, depois de muito tempo, para comprar cartuchos para a minha impressora Canon – não encontrei – e acabei comprando um teclado, mouse e um mini hub usb, todos da marca Bright, de todos não gostei do teclado, das teclas do teclado, mas funciona, o mouse parece bom, e o mini hub não experimentei. Comprei-o porque não sabia se as portas USBs estariam funcionando no notebook, e parece que sim, portas que antes não funcionavam com mouses antigos. Nesse período li bastante, seis livros em agosto, outros seis em setembro, mas em outubro, até agora, apenas dois, livros novos e muitas releituras. Eis os livros, apenas para ficarem registrados. Todos os livros de setembro foram releituras.

Agosto: A Suspeita (Nora Roberts), O Abrigo (Nora Roberts), Objetos Cortantes (Gillian Flynn – Relido), A Herdeira (Daniel Silva), A Mulher Enjaulada, (Jussi Adler-Olsen – Relido), Quando O Amor Bater À Sua Porta (Samantha Holtz – Relido).

Setembro: Atrás da Máscara(Perséfone), A Verdade Oculta (Juliana Dantas), Quando À Noite Cai (Carina Rissi), O Homem Perfeito (Lisa Gardner), No Mundo da Luna (Carina Rissi), Deliciosa Lição (Pri Ferraz).

Outubro: Doce Veneno (Nora Roberts) e A Filha (Jane Shemilt – Relido).

Trouxe comigo ainda mais dois livros, releituras, mas ainda não os abri.

Oi

Comecei a ler um livro, À Sombra de Uma Mentira, de Alex Marwood. Queria muito ler esse livro, livro que adquiri em junho, e que vem sendo minha primeira leitura desse mês. Pensei que fosse o único com dificuldades e vontade de ler, mas percebo que outras pessoas estão também com essa parada literária.
Vim para o centro porque na praia volta e meia cai a luz, e aqui acampado na minha casa.
Com teclado, que parece mais um enfeite, e ocupa um bom espaço, o notebook que é o que eu mais uso, um livro, já citado acima, e focado em tudo e nada ao mesmo tempo.
Hoje o dia esteve quente aqui em Pelotas, 29 graus anunciados. Saí de carro para dar um giro, e voltei, pelo menos dei uma passeada, e o clima estava ótimo, mesmo que saiba não ser para sempre.
Uma grande dificuldade para por um título nesse post.

Um certo grupo e lembranças

Fazia um tempo que eu não usava tanto o Facebook como no dia de hoje, mas é que eu fui convidado por uma amiga, a Carmen Beatriz e resolvi aceitar, e passei a tarde curtindo, comentando, e recordando o passado de Pelotas e outros momentos, e com isso me divertindo com o grupo Olhares Sobre Pelotas – Grupo.
Recordações como A Banda do Colégio Gonzaga, tricampeã nacional, que salvei em foto, no meu computador, para poder recordá-la.

Pena que o editor mudou, antigamente bastava digitar sem complicações, postar foto ou se no HTML alguns comandos, hoje em dia, esse post ficou mais complicado, cada vez que entro nesse post para editar tenho que copiar o que, felizmente, salvei antes no bloco de notas, porque o WordPress resolveu complicar.
Por que deixar o simples se podemos complicar?
Não, WordPress, eu não gostei desse editor, poderiam ter deixado uma opção num canto qualquer para quem quisesse seguir pelo modelo antigo.
E eu seria um, já que gosto tanto do serviço, mas não dessa opção.

Estudo e teclado

Oi!
Eu achava que preencheria esse começo de quarentena com leituras e séries, mas nesse final de semana acabei no teclado, estudando, ontem e hoje com a música New York, New York, do Frank Sinatra, por cifra melódica e partitura.
Não é nenhuma das músicas da apresentação, mas é uma que eu quero muito aprender, inteira, pelo menos a melodia, depois tentar colocar a harmonia, mas no meu caso fica mais difícil. A mão esquerda treme um pouco, e esse foi um dos motivos que parei com a fotografia. Fotografia amadora, mas que me dava prazer.
A apresentação que faremos quando tudo voltar a normalidade tem, até agora, três músicas, Pingos de Amor, do Papas da Língua, Que Beleza, do Tim Maia, e Billie Jean, do Michael Jackson, mas minhas aulas continuarão, num primeiro momento, agora, através do Skype. Não gosto de aulas à distância, mas foi a forma do Centro Musical O Batuta, escola musical de Pelotas, e muito boa, com professores qualificados, maravilhosos, manter os alunos, nesse momento complicado. A outra maneira é esperar que passe tudo e ter as aulas presenciais, como vínhamos tendo, mas vou tentar usar a tecnologia, a mesma que uso no dia a dia para navegar, conversar e pesquisar.
Tudo o que eu sabia de música, e considerava uma chatice quando criança, quando estudava no colégio uma disciplina de nome Artes, há milênios, eram as sete notas musicais, Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, e Si e foi assim que eu cheguei para O Batuta, e quatro meses depois eu estava tocando, com minhas dificuldades pessoais, que vieram comigo, mas tocando, e me vejo progredindo.
Não me apresentei o ano passado com os outros, mas dessa vez estarei com eles, e também por mim.
O post não seria sobre teclado, mas uma coisa leva a outra, e está postado, e também foi o que eu fiz nesse final de semana.
E espero continuar treinando, tentando usar mais a mão esquerda nesse período, e treinando melodias.

E você, gosta de música, é de Pelotas, está por aqui, então, venha conhecer O Batuta, a família Batuta, fazer amigos, e tocar!

Já as séries estão muito chatas, repetitivas. Cadê as inéditas?
Quanto aos livros, março eu li quatro, o que é um bom número, e não me despertou o interesse, até o momento, de uma quinta leitura. Os livros estão aí, vieram cinco, basta pegar um, abrir e ler, mas deixo para abril.
Desde 2016 que nenhum mês ficou sem leitura, e enquanto a vontade continuar, cada vez menor, agora sem mais as metas, eu continuarei lendo.
É isso!
Saúde e bênçãos para todos.

 

Outra foto

Canteiro central da Avenida Dom Joaquim aqui em Pelotas/RS, Brasil. Lugar onde muitas pessoas caminham ou se reúnem para conversar. Postando algumas fotos minhas que ainda não havia colocado no blog.
Depois de algum tempo deixei de sair para fotografar, o que para mim foi uma pena. Gostava muito!

DJq002_11A

***

Sigo lendo O Jogo do Ripper, de Isabel Allende, apesar que ontem não o li, porque ontem comecei o livro, e-book, Anne de Green Gables, de Lucy Maud Montgomery, e estou gostando muito.
Que tagarela a menina, como fala!

Evito ler dois livros ao mesmo tempo, já o fiz, mas com a chatice de um, e a vontade de ler, lendo dois, e me divertindo com o segundo.

De seis, dois

Estive na Feira do Livro, rapidamente, e comprei dois dos seis livros da lista que havia feito, mas, para mim, os livros físicos são caros demais, daí a minha preferência pelos digitais que tem o preço mais em conta, apesar de serem arquivos e não aparecerem na estante física, mas leio o mesmo enredo.

Fui para feira com a ideia de comprar ao menos dois dos seis, na verdade cinco livros, porque quando li a sinopse, na Amazon, do livro Anne de Green Gables, de Lucy Montgomery, fiquei com aquele quê de não ser a história que eu gostaria de ler, inicialmente, e, também, fui muito pela capa, mas pretendo ler uma resenha para me decidir.

Acabei comprando No Silêncio do Mar, de Juliana Dantas, primeiro livro dela, físico, e Apenas Um Olhar, de Harlan Coben.

Cl16736 (Livros)

Da lista sobraram dois semelhantes, A Última Mentira Que Contei, de Riley Sager e O Jogo da Mentira, de Ruth Ware.
Também Sangue Na Neve, de Lisa Gardner, e Anne de Green Gables, de Lucy Montgomery.

E não sei porque livros para teclado não encontro aqui em Pelotas, nem na Feira do Livro, mas compro depois, pela internet, livros físicos.

 

Alguns livros

A Feira do Livro de Pelotas está acontecendo, como escrevi ontem, e quero passar por lá, para isso olhando na internet, leia-se Amazon, sinopses de alguns livros que me chamaram atenção, no momento foram dois, Apenas Um Olhar, de Harlan Coben, e A Última Mentira Que Contei, de Riley Sager, fotos abaixo, mas se encontrar mais alguns, posto aqui mesmo.

Cl16731 (Apenas Um Olhar - Harlan Coben)
Cl16730 (A Última Mentira Que Contei - Riley Sager)

Sinopses aqui e aqui.

Como sigo olhando os livros na Amazon, me interessei pelo livro Anne de Green Gables, de Lucy Maud Montgomery, e também, confesso, a capa me atraiu, mas não sei se é bem o tipo de história que gosto de ler, mas farei desse post minha mais recente lista, e o que tiver que comprar, se gostar, comprarei.

Cl16732 (Anne de Green Gables - Lucy Maud Montgomery)

Sinopse aqui.

À noite está para buscar livros, então editando aqui com dois outros, que são O Jogo da Mentira, de Ruth Ware, parecido com a sinopse de A Última Mentira Que Contei, de Riley Sager e Sangue Na Neve, de Lisa Gardner, fotos abaixo.

Cl16733 (O Jogo da Mentira - Ruth Ware)

Cl16734 (Sangue Na Neve - Lisa Gardner)

 

Pela terceira vez

Aqui em Pelotas o final de semana está sendo chuvoso, péssimo para quem gostaria de aproveitar o feriado, então, ontem, eu resolvi reler, pela terceira vez, o livro físico, de Sophie Kinsella, O Segredo de Emma Corrigan, livro que em 2016, ano que comprei-o, já havia lido duas vezes, e que ontem, no dia da pátria, li de cabo a rabo.
Sem poder ligar nada pelas trovoadas, recorri a um livro físico.
Certa vez um técnico, amigo meu, me disse que não pode-se ligar nada eletrônico, na tomada ou bateria com dias assim, e desde então procuro evitar.

Não sei se somente aqui, mas toda vez que tento escrever, que eu clico em Escrever para abrir um novo post, demora bastante para abrir o editor de texto para escrever o meu post.

Estudando

Hoje saí e comprei material como a velha cartolina para anotar nela o que já vi até agora, em cinco aulas, como teoria, escalas maiores e menores, acordes, claves, símbolos e notas musicais e outras coisas a mais, e paralelo a isso, venho buscando material na internet e imprimindo-os, assim como lendo tudo, mais de uma vez.
Na teoria até que me saindo bem, o ruim é quando tento passar para o teclado, aí não sei o que fazer nele, confesso, e amanhã marquei uma aula com uma professora de teclado para me dar uma orientação.
Teoria é uma coisa, teclado é outra, que nesses últimos dias minha mente está voltada apenas para o instrumento que eu escolhi, que às vezes fico repetitivo aqui no blog, e por isso peço desculpas.
Imprimindo muito.

***

Aqui em Pelotas, e não sei no resto do Brasil, teve muita gente comprando ingressos por antecipação para ver O Rei Leão, respeito a escolha de cada um, mas filmes para mim tem que ser com pessoas reais, não animados, mesmo que por trás haja artistas reais, famosos ou não. No momento, no cinema, nenhum filme dos que passam nas salas daqui, me atraem. À espera de um filme melhor para poder voltar ao cinema.

 

Complicado

Teclado não é só para seis meses, complicado, mais ainda em tornar minhas mãos independentes uma da outra, sei que é necessário treino, mas confesso que não sei como ter um método de ensino em casa, fora o curso que faço, os livros que eu mando vir, o material que baixo da internet, assim como os vídeos que vejo nela e no curso.
Preciso treino e mais, saber o como treinar.
Ontem vi um vídeo no YouTube de um cara tocando ao piano, Crocodile Rock, a música que me trouxe para o teclado.
Será que um dia eu conseguirei tocá-la? Ou a qualquer outra?

***

Com problemas de lesão de esforço repetitivo, cotovelos e ombros. Os velhos problemas de volta, e bem numa hora ruim, num momento que estou querendo aprender teclado.

 

Chuva com café

Aqui em Pelotas, com chuva, pelo jeito as pessoas gostam de estar em cafeterias comendo e tomando alguma coisa, as que podem se dar a esse luxo.
Ontem eu tive que sair, resolver algumas coisas, e não sou da rua ainda mais com chuva, mas outros que estavam comigo resolveram parar para um café, uma chocolatada, enfim, e eu já saí pedindo uma fatia de musse, adoro tortas doces acompanhada de uma Coca-Cola, e foi o que comi e bebi. 
Era um local pequeno, mas estava cheio.
Quando saímos dali, paramos perto de outra cafeteria, e mais pessoas comendo.
Acho que a chuva abre o apetite, talvez por falta de algo melhor para fazer, e no intervalo de uma coisa e outra, param para comer e beber.
Será que é assim mesmo?

 

Minha noite de sábado

Não gosto de sair à noite, foi-se esse tempo, ainda mais nesse inverno fora do comum, rigoroso mesmo, e que está sobre o Rio Grande do Sul,  então como estou fazendo um curso de teclado, e tem programas espalhados pela internet, seja no YouTube, sites diversos, e Pinterest, resolvi, através das fotos do programa, aprender um pouco mais por ali, também, então estou olhando as fotos explicativas, como posso imprimir e fazer os exercícios, exercícios que vejo como um complemento para o aprendizado do curso, e eu ainda vejo o papel e a caneta como ferramentas de apoio para qualquer tipo de aprendizado, que sigo usando-os em meu benefício, assim como acredito que muitos outros também. Visite meu Pinterest clicando no link ao lado, Pinterest.

Editando:
Por mensagens recebidas do programa, por pins que dizem ferir a política de privacidade, esttou ali de me retirar e apagar minha conta, e o que fiz inicialmente foi apagar minhas pastas, deixando apenas a pasta Partituras, Teclado.

 

Frio

O frio que está fazendo aqui no sul é congelante, zero graus, dois, a mínima, e máxima treze, quinze, isso depois de uns dias de verão em pleno junho, apesar que os próximos dias estão prevendo máxima de vinte e sete graus. O tempo oscila demais, e sempre sobre para nós pobres mortais, pois temos todos os climas num único dia.
Não gosto do frio, minha estação favorita sempre foi o verão, com o frio eu me encolho, e sei que muitos outros pensam assim, mas tem muita gente que está adorando este clima assim, não sei como, mas tem.
Não sou do vinho e nem da lareira, logo esperar o inverno para apreciar um momento assim, não rola.
Também não sou de praia, de estar na praia pegando sol, mas verão apresenta outras opções, e gosto delas, mas enfrentar o clima gelado que está sobre o Rio Grande do Sul não dá. Nunca há roupa suficiente para agasalhar-se, e os ares condicionados estão aí, solução de momento.
Não curto aquele verão de quase quarenta graus, não gosto dos extremos, nem tão pouco desses dias gelados.

Spoiler

Spoiler é uma gíria que se refere à quando alguém revela informações sobre alguma parte de uma obra de ficção, como um livro ou filme, sem que a outra pessoa tenha visto antes. Essa palavra tem origem no verbo em inglês spoil, que significa estragar.
Fonte: Dicionário Popular

Há muitos anos atrás fui assistir a uma peça de teatro no Colégio Gonzaga, onde estudei grande parte da minha vida, Bailei Na Curva, quando sentou ao meu lado duas mulheres, uma sem nexo nenhum, pois passou o tempo todo antecipando as cenas para a amiga, para mim, e para todos ao redor, e só não busquei outro lugar porque realmente não havia.
Se alguém já leu um livro, viu um filme ou foi ao teatro, que respeite o próximo que quer descobrir cenas por si, mas que tem pessoas fora da casinha, ah tem mesmo.

Estava recordando esse fato hoje, e resolvi fazer dele o meu post do dia, agora da noite, mas respeito é muito legal.
Não faço resenhas por não saber, incrivelmente, e o pouco que tento, fico com medo de escapar algum spoiler, mas se acontecer, me perdoem.

Sobre Bailei Na Curva

Bailei na Curva é uma das peças de maior sucesso do teatro gaúcho. O argumento, roteiro e texto final são de Júlio Conte, baseado em improvisações dos atores Flávio Bicca, Márcia do Canto, Lúcia Serpa, Hermes Mancilha, Regina Goulart e Cláudia Accurso.

Do gênero comédia dramática, a peça foi escrita e encenada pela primeira vez em 1983, no Teatro do Ipê, com grande aceitação do público e da crítica. Depois disso, teve diversas montagens.

A peça conta com 48 personagens, interpretados por oito atores, quatro homens e quatro mulheres.

Fonte: Wikipedia

Cl16620 (Bailei Na Curva)

 

Feira

Estive hoje na FENADOCE, e levei comigo a Cláudia.
Fazia uns cinco anos que não ia a FENADOCE, de ruim, para mim, o acesso, no mais tudo bem, desde a organização para parar os carros até a feira em si, e o preço, não sei se hoje, estava bom, R$ 10,00 por pessoa, R$ 15,00 o carro.
Sou da época que o ingresso dava direito a um doce, hoje não mais. Paga para entrar, paga para comer, paga para comprar, por enquanto só não paga para sair.
Entramos por volta das 14h e saímos próximo das 16h30, e tirando o parque, que só paramos para olhar um brinquedo, abaixo, o resto vimos tudo.
O brinquedo que chamou a nossa atenção foi este abaixo.

Brinquedo

Havia uma placa proibindo cardíacos, pessoas com labirintite e outros, mas vi no final e não fotografei, essa foto saiu quando eles começaram a cair, e foi tão rápido, sorte que fotografei.

Vimos um show da terceira idade, muito bom, tanto a regência quanto o coral, só não sei o nome, pena que minhas fotos não mostram mais, e ainda por cima saem um pouco tremidas. Fotos de smartphone.

Espaço Musical2

Tinham muitos painéis assim como escolas, e nesse, em especial, muitos querendo fotografar, mas quando esvaziou, fiz a minha foto.

Painel Sete de Abril2

A outra foto que fiz, fiz algumas, é esta abaixo, não gosto que apareçam rostos que poderão não gostar, mas estou numa feira e fica impossível evitá-las.

Feira (Claudia)2

Fiz outras fotos, mas bastam estas.

Foi uma tarde agradável.
Comprei um cobedron, mistura de cobertor e edredon, assim como também trouxe doces para casa.
A Feira termina domingo, e restam poucos dias para quem ainda não foi visitá-la.

Décimo segundo dia

Itapema, 22 de março de 2019

Saímos por volta das 11h para Balneário Camboriú, fomos almoçar no Atlântico Shopping, e fazer algumas comprinhas, mas quando entramos na orla de Balneário Camboriú avistamos um transatlântico ancorado, tirei muitas fotos, claro, de smartphone.

Transatlântico02

Meu irmão comprou um tênis e minha mãe um presente, e só.
De volta a Itapema fiz dois vídeos, mas o som do meu celular, J5 Pro da Samsung, deixou a desejar, e algumas fotos e selfies.
Nosso passeio vai chegando ao fim.
Amanhã ficamos por aqui arrumando nossas malas e a espera de visitantes, amigos de uma época muito boa, e domingo, de manhã cedo, pegamos a estrada rumo a Pelotas.

Aguardando o nosso retorno em novembro, por aqui, se Deus quiser.

Partida Sta. Catarina

Pelotas, 10 de março de 2019

Saímos da Praia do Laranjal às 5h30 da manhã e chegamos às 20h.
Viajamos em cinco pessoas, eu, meu irmão e minha mãe num carro manual, Citroen C3, e a namorada do meu irmão e a acompanhante de minha mãe numa Mercedes Benz ML 350 automática.
Motoristas da viagem, Alvaro e Marieli.

Paramos no Paradouro Gral no RGS para descansarmos um pouco.
Abastecemos nossos carros ao longo da viagem umas quatro vezes para não deixar o tanque ficar vazio, nem na reserva.
Ainda no RGS paramos em Maquiné onde fiz algumas fotos, pois não conhecia o lugar.

Maquiné2

Já em Santa Catarina paramos na Havan de Araranguá onde almoçamos e fizemos compras. Depois dali seguimos viagem e só fomos chegar a Itapema à noite, mas foi uma viagem bonita e tranquila, porém cansativa.

Pesquisa

Aqui em Pelotas, no bairro Laranjal, nossa praia, há uma avenida chamada José Maria da Fontoura, inicialmente encontrei um blog chamado Blog Sangue Palmeiro, mas não se trata do mesmo, ao que parece, pois sigo investigando e este acho que é daqui mesmo.
Editei o blog, e paro por aqui.
Volto a postar quando tiver o conteúdo em mãos.

Quis apenas deixar registrado em meu blog e deixei essas poucas linhas. Se eu encontrar mais a respeito ou se meus amigos souberem mais, me informem. Obrigado.