25 de abril

Eu não sinto vontade de postar, mas para não passar tanto tempo sem deixar nada e misturando os assuntos, finalmente tomei a primeira dose da vacina contra a covid-19, e aguardo ansiosamente pela segunda, da mesma forma que muitos, ainda, pela primeira.
Não vejo a hora dessa pandemia acabar.
Às vezes aqui na praia falta luz, e quando volta é aquela gritaria de felicidade porque a luz voltou, como se fosse um gol, imagino, ou tento imaginar, quando cessar essa praga, como será o grito de cada um de nós no mundo.

O Grêmio está de técnico novo, finalmente!
Não aguentava mais o estilo do técnico antigo. Saiu o treinador, ficou o ídolo. Ponto.
As conquistas passadas estão no armário, Copa do Brasil 2016 e Libertadores 2017. Que venham novas.

E sigo cada vez mais vendo séries e mais séries no Netflix.
Ponto Cego, Unidade 42, Retaliação, Warrior Nun, À Louva-A-Deus, Marcella, DeadWind, Capitani, Wanted, Emily Em Paris, Ginny E Georgia, Marvel: Jessica Jones e Bordertown.
Em negrito, completas, cada uma com três temporadas.

Hoje fui à missa, senti necessidade de estar presente, e fui, liguei para a igreja, dei o meu nome e compareci. A Igreja está em obras e só pode receber 25 pessoas por missa, mesmo assim faltaram alguns.
Aqui na praia tem igreja, mas eu me sinto bem na Igreja do Porto, a Paróquia Sagrado Coração de Jesus. Recebeu o apelido do Porto porque fica no bairro de mesmo nome.

Bolinha murcha

O Grêmio, meu time do coração, vem jogando uma bolinha murcha, porque a bola sai do goleiro, vai para o lateral, dali para o zagueiro central e para o quarto zagueiro, aí a bola é devolvida para o central que devolve para o zagueiro da esquerda, até chegar em algum lateral que encontra o primeiro volante, que de todo o campo para jogar, à frente, resolve atrasar para os zagueiros, e começa tudo de novo, quando a bola chega em algum atacante, não pensem que vão para cima, não, eles retornam e começam de novo, ou para o lado ou para trás, meu time chega a me irritar, não assisto os jogos, mas por acaso eu vi dois e não deu, dei um tapa na mesa, de mão aberta, forte.
É um futebol muito feio, que irrita qualquer um, sem verticalidade, sem a busca do gol, enquanto os adversários, sejam eles quais forem, quando de posse da bola partem em direção ao gol do Grêmio.
Gostaria de saber quantos passes por jogo dão para o lado e para trás?
E quantos para frente, em direção ao gol?
Quantos chutes por partida?
Quem teria esses dados, essa estatística, ou onde arrumar?

Ah, Grêmio!

Com este esquema viciante, sem inspiração, prefiro não ver mais, invisto numa programação mais tranquila do que esta que está sendo apresentada, sem objetividade.
E na maior parte do jogo os atletas do Grêmio não dão um chute, nenhum chute, só giram em campo, que perdeu a graça.
E cadê as jogadas ensaiadas como em outros tempos?
O Grêmio joga, irrita, mas ganha também, mas longe daquele futebol campeão, o melhor do Brasil, como o Renato dizia.
Ou dá uma mudada radical, ou segue indo aos trancos e barrancos.
Jogadores novos estão chegando, mas se o esquema não mudar, não beneficiar os atacantes, não for vertical e objetivo, pode vir o melhor dos craques que no Grêmio vai desaparecer.
Infelizmente!

Chuta!

Venho observando que o jogador de futebol, hoje em dia, uma grande maioria, chega próximo da área e fica com medo de chutar contra o gol quando a chance aparece, e aí dão para o lado ou para trás tentando passar a responsabilidade para outro companheiro.
Medo?
Poucos tem a coragem de um Luka Modric ou Lionel Messi ou um Cristiano Ronaldo, ou será que precisa ser um craque desses, fora de série, para poder trazer a responsabilidade para si e decidir uma partida?
Por que este medo de chutar ou como resolvê-lo?

10 e 60

Assisti ontem o jogo Brasil 4 X 1 Itália, decisão da Copa de 70 no México com gols de Pelé, Gérson, Jairzinho e Carlos Alberto para o Brasil e Boninsegna para os italianos. Pelé abriu o escore, Boninsegna empatou, e no segundo tempo Gérson, Jairzinho e Carlos Alberto finalizaram para o Brasil.
Dez porque eu tinha dez anos, sessenta porque é a minha idade atual.
Não escondo idade.
Na minha opinião foi a seleção show que o Brasil teve, apesar que nesse jogo, revendo após cinquenta anos, alguns jogadores foram fominhas demais, mas sem nomes, e os melhores em campo foram Gérson e Clodoaldo, mais, O Brasil conquistou o tricampeonato.

Para quem quiser rever aquele jogo ou ver pela primeira vez, abaixo está a conquista do tricampeonato. Em 1970 os jogadores podiam atrasar a bola para o goleiro e este pegar com as mãos.

No vídeo estão as escalações de ambas as equipes por ordem numérica da camiseta dos jogadores.

***

O jogo foi revisto pelo YouTube.

Filmes e jogo

Nesse fim de semana passei revendo filmes, como A Lenda do Tesouro Perdido, com Nicolas Cage, A Escuridão, com Kevin Bacon e Prometheus, com Charlize Theron, e anotando no Filmow filmes que já havia visto mas que ainda não haviam sido anotados, como De Volta Ao Jogo, com Keanu Reeves, O Último Caçador de Bruxas, com Vin Diesel, e Os Farofeiros, com Danielle Winits.
Foi um sábado e um domingo com alguns filmes bons, e séries também.

Sobre o sábado, gostei muito do resultado do GreNal, vitória magra, é verdade, mas com gol de Diego Souza, o terceiro em três jogos – um por jogo – aos noventa minutos de jogo, no final e para liquidar a partida, e o melhor, na casa deles.

Internacional 0 X 1 Grêmio

Estava ouvindo um programa sobre futebol, na Atlântida FM, sobre futebol, sobre o clássico, e pegaram os jogadores da dupla, goleiro, laterais, zagueiros e assim por diante, e cada um da mesa deixava sua opinião sobre qual o melhor da posição.
Para eles seis do Inter e cinco do Grêmio, já no campo, foi bem diferente.
Quero escutar o programa de segunda para ver o que vão dizer, sobre determinadas escolhas que fizeram na sexta, agora o pós jogo, e falando em zaga versus ataque, a principal do Grêmio, com Geromel e Kannemann não entrou em campo, pois estão lesionados, foi a boa zaga reserva com Paulo Miranda e David Braz e deram muita conta.

Não vi o jogo porque fico tenso, vi depois os melhores momentos, mas a vitória é mais importante. Foi uma semifinal, e agora, a final do primeiro turno será entre o Caxias e o Grêmio. Agora o Grêmio tem que jogar muito mais que o primeiro jogo, pois no primeiro confronto do ano, na Arena Grêmio, venceu o Caxias por dois tentos a zero.

 

Como eu vejo

O campeão do Brasileirão e da Libertadores 2019, a poucos dias de outra decisão, no dia de hoje, está em campo com seus titulares ou parte, enquanto o Grêmio, meu time, que só ganhou o regional, entrou em campo com os guris, nem mesmo os reservas ou o técnico.
Não concordo com isso, de jeito nenhum.
Sou gremista e amo o Grêmio, mas todos os jogos devem ser jogados com os principais jogadores, salvo por lesão, não escolhendo o adversário ou a competição.
E se o Flamengo pode, o Grêmio e qualquer outra equipe, também pode.
Quanto as contratações, que sejam pontuais, não tentativas ou apenas para compor grupo.

Vejo dessa forma.

Campeões

Resolvi fazer um post homenageando os vitoriosos do sábado, o grande Flamengo, com merecimentos, e o Esporte Clube Pelotas, pelo título da Copa Seu Verardi, competição gaúcha, por suas conquistas, mas em modalidades bem diferentes, com adversários bem diferentes, mas em poucas palavras, parabéns aos campeões, ao meu Pelotas, que nesse ano montou uma equipe muito boa para a copa em questão, e com determinação buscou esse título, e título é título, como taça é taça e volta olímpica é volta olímpica, então parabéns aos vitoriosos, aos rubro-negros e áureos cerúleos.

Cl12756 (EC Pelotas).png

Parabéns Esporte Clube Pelotas!!!

Bicampeão

Na Libertadores desse ano o Clube de Regatas Flamengo, dirigido por Jorge Jesus, consagrou-se Campeão da Libertadores 2019, de forma merecida, porque nesse momento e com o poderio que tem, sem poupar jogadores, e encarando o adversário que vier, da mesma forma que competição, mostrou a que veio, e ainda por cima está ali ali de levantar o Brasileirão 2019, porque lidera a muitas rodadas, e não vem deixando para ninguém. Basta o meu Grêmio roubar pontos do Palmeiras e o Flamengo já pode, em menos de 24 horas, erguer novo troféu.

Parabéns Flamengo!

Cl16739 (Flamengo)

Editando o post, pois escrevia e ainda não havia verificado os resultados do Brasileirão 2019…

Flamengo Campeão Brasileiro de 2019!!!

Everton Cebolinha

Torci pelo Brasil, e muito, também, pelo Éverton, porque sou gremista, e queria que ele brilhasse, ele brilhou na seleção, aproveitou a chance dele, mas por outro lado ficou mais visível para o mundo, e possivelmente mais longe de permanecer no Grêmio, o clube do meu coração.
Com o futebol que vinha apresentando, jogando no Grêmio F.P.A. já estavam de olho nele, depois dessa passagem pela seleção, não somente os brasileiros como quem acompanhou a Copa América pode constatar, como disse o Galvão Bueno, que ele é sim O cara. O Grêmio teve um dos maiores ponteiros direitos de sua história, Renato Portaluppi, hoje técnico do Grêmio, e também teve Éder Aleixo, ponta esquerda, falando apenas do meu tricolor, dos que eu lembro agora, pois o Brasil teve outros muitos que deram o que falar em seus clubes, e agora numa época que os pontas são raros, surge um menino chamado Everton, apelido Cebolinha, e encanta quando joga, quando dribla, quando vai ao fundo e cruza, ou quando parte para cima do adversário sem tomar conhecimento e guarda a bola em seus chutes ou bolas colocadas na rede adversária.
E vi pela internet um site esportivo – nada contra o site e sua pesquisa – após o Tite convocar a seleção, com uma lista de qual jogador você trocaria, e muitos internautas arriscaram o nome do garoto do Grêmio. Pois é, esses torcedores não entendem nada de futebol.

Brasil campeão da Copa América 2019.

Dá-lhe Everton!!!

Que bonito é

Na Cadencia do Samba
(Que Bonito É)

Samba
Representa uma nação
Samba
Orgulho da raça
Retrato de um povo
Que tem alma e coração

Que bonito é
Ver o samba no terreiro
Assistir um batuqueiro numa roda improvisar
Que bonito é
A mulata requebrando, os tambores repicando
Uma escola a desfilar
Que bonito é
Pela noite enluarada, numa trova apaixonada
Um cantor desabafar
Que bonito é
Gafieira, salão nobre
Seja rico seja pobre
Toda gente a sambar
O samba é romance
O samba é fantasia
O samba é sentimento
O samba é alegria

Bate que vai batendo a cadencia boa que o samba tem
Bate que repicando o pandeiro vai tamborim também

(Luiz Bandeira)

Outros tempos

Sou do tempo que um jogo da Seleção Brasileira contra adversários como Bolívia, Venezuela e Peru era um passeio, sem menosprezá-los, mas hoje em dia gera preocupação, dizem que os selecionados melhoraram, que os jogadores jogam em times grandes da Europa, mas se houve melhoras, no Brasil, então, houve pioras, porque o nosso futebol é penta, o único, diga-se de passagem, então a preocupação deveria ser contra adversários como Uruguai e Argentina, nossos melhores adversários aqui na América do Sul.
Okay, mas e a Colômbia, o Paraguai e o Chile?
Em outros tempos era jogo jogado, mas hoje dizem um monte de coisas, se uns melhoram, os outros pioram, falta de concentração, ou a escalação não é a dos sonhos, e o que escrevem é que o jogo vai se decidir dentro do campo, etc. e tal. Então está bem!

Gostei do placar hoje, muitos gols, cinco a zero, o que não gostei é do Gabriel Jesus errar aquele pênalti. Mais concentração, por favor!

Iúra

O jogo, GreNal, Clássico 233.
Local, Estádio Olímpico, em 14.08.1977.

O jogo começou com os jogadores do Grêmio tocando a bola de pé em pé, sem que o adversário conseguisse cortá-la, e quatorze segundos depois, no gol mais rápido de um GreNal, Iúra, o camisa dez, balançou as redes coloradas para delírio da torcida tricolor, num distante clássico, e inesquecível, de 1977.

O placar final foi Grêmio 2 X 1 Internacional com gols de Iúra (14″) e Tarciso (48′) para o tricolor enquanto Hermínio (82′) descontou para o Internacional.

Cl16616 (Yura)

O Grêmio foi a campo com a seguinte formação: Corbo; Eurico, Ancheta, Oberdan e Ladinho; Vitor Hugo, Tadeu Ricci e Iúra (Zequinha); Tarciso, André (Alcindo) e Éder.
Técnico: Telê Santana.

E o Internacional com: Manga; Hermínio, Beliatto, Gardel e Vacaria; Caçapava (Escurinho), Falcão e Batista; Valdomiro, Luizinho e Lula (Dario) Técnico: Sérgio Moacir.

Apenas uma lembrança sobre o gol mais rápido em GreNal, do Iúra, e daí resolvi fazer esse post.

Com pesquisa do número do clássico, a data, a escalação dos times, e o placar final, na internet.

 

O jogo

Achei que o Brasil ia superar a boa seleção da Venezuela, porém me enganei, os venezuelanos jogaram bem, enquanto os brasileiros, que deveriam ter feito a lição de casa, nem tanto. Começaram pressionando, mas sem êxito.
E o Tite deveria ter tido coragem e ter saído jogando com Éverton, pois teria mais chances para buscar o resultado, e para ele ir para cima dos adversários, furar os bloqueios, mas sempre os mesmos jogadores, sempre os onze que estão em sua mente, joguem bem ou mal.
O povo pediu o Cebolinha, ele entrou e em pouco tempo correspondeu, mas parece que a seleção está torta com ele em campo, e não por culpa dele, mas dos outros selecionáveis.
O Éverton entra como solução dos problemas e para ir para cima dos adversários, mas o jogo do Brasil é sempre pela direita e centro, mesmo que povoado de adversários, e ninguém vê isso, e vez que outra chega uma bola boa na esquerda, ou ele vai buscar, pois é assim que eu vi as duas participações do Brasil na Copa América.
Contra a Bolívia precisou de um lance para mostrar o bom futebol que tem e que todo mundo conhece, e contra a Venezuela teve uma chance em campo, na única bola boa que chegou para ele, pela esquerda, mas não era à noite do Firmino, e o placar foi igual, e sem gols.

 

Tudo menos esportes

Estou olhando muitos sites na internet, tentando aprender, e tocar pedacinhos de músicas para não ficar com o teclado apenas fazendo barulho das notas, toquei Cai Cai Balão, Parabéns A Você, e o comecinho de Shallow, minha preferida, pelo menos para ouvir que toquei, mas com um quê, não consigo tocar com as duas mãos juntas, nem sei se isso vai acontecer algum dia. Coordenação entre as mãos.

Também resolvi tocar a história que estou lendo, A Garota Alemã, de Armando Lucas Correa, duas histórias, uma que ocorre em 1939 e outra em 2014, ligadas por sangue. Quase no final.

Em época de Copa América venho assistindo alguns jogos, e hoje joga o Brasil. Brasil X Venezuela, e sem desmerecer o adversário, por mais que digam que não é o mesmo selecionado, que melhorou muito, ainda acredito na nossa seleção, não que eu morra de amores pela seleção brasileira, porque a verdade é que não, não essa, e venho ouvindo, também, que os estádios não estão lotando, mas lotar como com os preços dos ingressos nas alturas?
Deviam ter pensado melhor.

Estou dando espaço para várias coisas ao mesmo tempo, coisas que eu gosto, menos duas coisas, sair mais e me exercitar, que seja uma caminhada mesmo, que nunca gostei, mas que uma hora vou ter que encontrar espaço.
Momentaneamente com dores estranhas em meus pés, já fiz exame, ultrassom, mas nada foi verificado, mas como mencionei dores nas costas, a médica relacionou algum nervo na coluna que pode atingir determinada região dos pés, e pediu para eu investigar.
É só o que me faltava.
Nunca fui fã de esportes, nem na vida colegial, muito menos agora adulto, mas algo precisa ser feito. Só não quero retornar ao pilates, no momento, nem a nenhuma academia.
Caminhada basta.

 

Segundo e-book

Terminei hoje meu segundo livro, e-book, do mês de junho, Sangue Frio, de Robert Bryndza, minha quinta história da detetive Erika Foster. Gosto muito de histórias policiais, e tenho fases, às vezes leio Agatha Christie, outras Blake Pierce, e também Robert Bryndza. Varia.

Sinopse:
A detetive Erika Foster fica espantada quando uma mala contendo o corpo desmembrado de um homem aparece na margem do rio Tâmisa. Mas não é a primeira vez que ela vê um assassinato tão brutal. Duas semanas antes, o corpo de uma jovem havia sido encontrado em uma mala idêntica.
Quando Erika e sua equipe começam a trabalhar, logo percebem que estão seguindo o rastro de um serial killer. O número de corpos aumenta, e o caso fica ainda mais grave quando as filhas gêmeas do Comandante Marsh, colega de Erika, são sequestradas. Será que Erika conseguirá salvar a vida de duas crianças inocentes? O tempo dela está se esgotando, e ela está prestes a fazer uma descoberta perturbadora.
Fonte: Amazon

Cl16591 (Sangue Frio - Robert Bryndza)

Os livros que eu li de Robert Bryndza: Sangue Frio, O Último Suspiro, Sob Águas Escuras, Uma Sombra Na Escuridão e A Garota No Gelo.

Agora a espera de Segredos Mortais, o sexto livro da série da detive Erika Foster, por enquanto na edição em inglês.
Para cometer o homicídio perfeito é preciso ter o álibi perfeito.

Cl16592 (Segredos Mortais - Robert Bryndza, Livro 6)

Não sei se por ter acabado um livro há minutos, mas mesmo de óculos não visualizo muito bem a tela, não sei se a claridade ou tudo.

E finalmente o Grêmio saiu da zona de rebaixamento, não sei se vai manter-se fora, espero, mas tem time e tem que mostrar a cara, e mostrar que este time tem camisa, superar-se dentro das quatro linhas, porque só discurso não dá, tem que ter bola também.

 

Rádio Hospício

Para os amigos que são gremistas e querem conhecer uma rádio muito boa, uma rádio de amor ao Grêmio, no ar por 24 horas, visitem a Rádio Hospício, ou cliquem no link para ter uma ideia, mas para você que é colorado, pelo menos torce pelo vermelho e branco, só se gostar de música muito boa para ouvi-la.

Rádio Hospício…

HospicioCom

Somos loucos… pelo Grêmio

Em homenagem ao meu amigo Igor, gremista como eu, e seus amigos da Rádio Hospício.

Tweet

Olhando o Twitter, eu sigo o Galvão Bueno – não gosto de seguir famosos, mas gosto de futebol, e dos Tweets do Galvão – então, lá ele escreve sobre a atitude bonita do goleiro do Peñarol, que aceita o pedido de um torcedor de um time rival, torcedor com Síndrome de Down, cobre um pênalti contra ele.
Foi uma linda atitude assim como bem colocado o pênalti. Inclusive o árbitro participou como se fosse parte de um jogo.
E o torcedor correu em comemoração pelo gol feito.

Lindo!

Vejam abaixo o tweet postado no dia 16/04/2019.

@galvaobueno Falando das coisas boas do futebol, eu gostaria de compartilhar essa atitude muito bacana que teve o goleiro do Peñarol, que atendeu a um pedido de um torcedor do time adversário, um rapaz com síndrome de Down, que queria bater um pênalti nele. Parabéns ao goleiro Dawnson.

E no site do Globo Esporte o vídeo do acontecido. Clique aqui.

O único invicto

Bi Campeão!

O Grêmio sagrou-se bicampeão do Gauchão 2019, o único time invicto neste campeonato, e com merecimentos levantou mais uma taça.
Não perdeu um jogo.
O verdadeiro e único campeão.
Defesa impecável, porém o ataque, apesar das duas goleadas de seis a zero, nem tanto, poderiam corrigir, chutar mais, ter mais confiança para que nos próximos campeonatos pudessem corresponder mais, e melhor.
Ainda disputamos a Libertadores e o Campeonato Brasileiro vem aí.

PARABÉNS GRÊMIO!!!

Cl16430 (Grêmio FBPA)

No Beira Rio em 14.04.2019, Internacional 0 X 0 Grêmio e na Arena, ontem, 17.04.2019, Grêmio 0 X 0 Internacional, mas nos pênaltis 3 X 2 para o Grêmio, placar final da decisão.

A campanha do Grêmio

Fase classificatória

Grêmio 4 X 0 Novo Hamburgo (F)
Grêmio 1 X 1 Aimoré (F)
Grêmio 3 X 0 Juventude (C)
Grêmio 4 X 0 São Luiz (C)
Grêmio 3 X 0 Caxias (F)
Grêmio 6 X 0 Avenida (C)
Grêmio 0 X 0 Brasil (F)
Grêmio 2 X 0 Veranópolis (C)
Grêmio 3 X 0 São José (C)
Grêmio 1 X 0 Internacional (C)
Grêmio 2 X 0 Pelotas (F)

Quartas de Final

Grêmio 6 X 0 Juventude (F)
Grêmio 0 X 0 Juventude (C)

Semifinais

Grêmio 0 X 0 São Luiz (F)
Grêmio 3 X 0 São Luiz (C)

Finais

Grêmio 0 X 0 Internacional (F)
Grêmio 0 (3) X 0 (2) Internacional (C)

 

GreNal

E hoje decide-se o Campeonato Gaúcho, o Gauchão 2019, com o clássico mais famoso do Rio Grande do Sul, o GreNal. De um lado o Grêmio, meu tricolor, que vem invicto por todo o campeonato, e do outro o Internacional.
Espero que o fator local faça a diferença e que o Grêmio se imponha em casa, e leve mais esse título, jogando bem e com sobras.

Que se houver emoções seja mesmo pelo lado azul, branco e preto. E o título, mas Grenal é Grenal. Vamos torcer!

Décimo terceiro e quarto dia

Itapema 23 e 24 de março de 2019

Hoje não saímos, eu e minha mãe, já os outros deram uma voltinha e pegaram praia.

À tarde estava combinado umas visitas para receber e foi um prazer recebê-las.
João, Arlete, Bruna e sua filha Isabela, depois Roberta e sua filha Júlia. Fazia um tempo que a gente não via nenhum deles, e a conversa rendeu.
Com as despedidas fomos também arrumar nossas malas para pisar a estrada no domingo, e o dia chegou.
Saímos às 07h19 do apartamento em que estávamos alugado e depois de abastecermos os carros, gasolina bem mais barata por lá, pegamos a estrada, paramos umas quatro ou cinco vezes, os dois carros e seus ocupantes.
Meu irmão e cunhada dirigem muito bem, mas fazer a viagem direto para eles, cansa. Eu vinha atrás fotografando o que podia. Nessa viagem meu apelido poderia ser fotografia, se tirava bem ou não, era outra coisa, mas eu me diverti, mas também sentado numa mesma posição por muito tempo atrapalha, dói, não é?
Acho que todos chegamos um pouco ruim, corporalmente falando. Agora é fazer o que tem a fazer por aqui, exames também, e aguardar os próximos meses.

Vamos ver!

Quando estávamos próximos de Porto Alegre, meu irmão me chamou a atenção em relação a Arena Grêmio, passamos na frente, e tirei algumas fotos do estádio do meu time mais querido, e único, o Grêmio Football Porto Alegrense, meu tricolor.

Arena do Grêmio

Falando em futebol, o Grêmio foi a Caxias e visitou o Juventude, nesse domingo, 24.03.2019, e amassou o time da serra, Juventude 0 X 6 Grêmio. O Ju jogou com dez devido a uma falta violenta, mas quando estavam iguais o time da capital estava melhor que seu adversário. E pode perder por cinco gols e seguir adiante, mas acredito que jogando em casa fará uma boa partida.
Nunca gosto de achar que já ganhou, nem mesmo com o placar extenso. Sempre tem um outro jogo, mas acredito no Grêmio.
Vem jogando bem.
Pelo menos no Campeonato Gaúcho.

***

Já a Libertadores 2019, é outra história.

Antigamente

Eram onze jogadores em campo e cinco reservas, e os jogadores sempre jogavam bola duas vezes na semana, hoje quando tem uma outra competição, jogam três vezes na semana, e não em todas elas, então por que entrar com time misto, por que descaracterizar a equipe que vem jogando junta e a cada partida colocar uma configuração nova?
Sou contra!
São profissionais que ganham bem, que treinam bem, e estão aptos a entrarem em campo o máximo possível. A equipe titular tem que ser conhecida. Nada de rodízios de um ou outro jogador, a não ser por lesão.
Nunca foi assim no passado e iam a campo e jogavam sem reclamar.
Talvez o que esteja errado seja ter mais de um jogo na mesma competição, ou seja, deveria ser um por semana, mas não que tenha que haver revezamento de jogadores que jogam duas ou três vezes e em quatro ficam parados, apenas treinando ou fazendo fisioterapia e massagem.

Minha opinião.

Agora regionalizando e voltando para a minha equipe, o Grêmio, há muito tempo que o Luan deveria ser banco, pois 2017 passou, quando jogou muita  bola e foi o Rei da América, 2018 também, e deixou a desejar, e com isso, e não sei porque, o futebol dele desapareceu.
Gostava dele quando era participativo, passava bolas, chutava, e muito, driblava, fazia gols, mas parou por completo.
Se segue com alguma lesão, que pare de jogar, e dê lugar a novos jogadores com fome de bola e que pedem passagem.
Assim, desfalcando o Grêmio ou sendo apenas uma aposta, não dá para entrar em campo. Que a bola dele volte a encher e que traga muitos resultados bons para o meu tricolor, mas como está não dá, é banco.

Sobre o chute, por que que os atletas não chutam? Chegam na frente da área ou dentro dela e travam? Dão aquele drible a mais, desnecessário, e perdem a oportunidade.

Chutar, chutar e chutar!!!
Para quem é do futebol, tem que chutar.

Futebol é vertical, é para a frente, não aquele joguinho lateral que irrita esperando o adversário abrir, mas quando o adversário tem a bola vai para cima, verticalmente e levando perigo.
Por que um consegue encontrar os espaços e o outro enrola? Então é preciso rever certas coisas.

Vejo o futebol dessa forma, como era antes, como é hoje, e as diferenças.

Cores

Se é para falar de cores, que seja de azul, principalmente, branco e preto, um trio de cores que lembra o meu Grêmio, que começou 2019 jogando bem, e que continue assim, amarelo, verde, laranja, até mesmo branco que nunca aparece aqui no meu blog, pois tem, por escolha minha, fundo branco, mas vermelho nunca, somente se for a cor de um carro, nem de clube de futebol e jamais de partido político.
Ultimamente o carro vermelhinho de milhões de dólares, no Brasil, a Ferrari, não tem o meu gosto, por mais linda que seja, e é, já que me encantei há algum tempo atrás pela Lamborghini, de tantos posts aqui, mas que não deixa de ser um sonho longe demais, para mim.
Nesse domingo o Grêmio disputa a Recopa Gaúcha contra o Avenida, inicialmente, pelos noticiários, o primeiro com o time principal e o segundo com os reservas, pois não se importa com o jogo.
Vamos ver!

Grêmio 6 X 0 Avenida, Grêmio campeão da Recopa Gaúcha.

Ao Flamengo e familiares das vítimas os meus sentimentos.
Mais uma tragédia em 2019 que assola o país.
Até quando?

Jogo de botão

Eu na minha adolescência gostava de jogar botão, tinha o time do São Paulo e outros botões avulsos, e um time que mandei fazer nas cores marinho e vermelho, que por alguma razão lembrava as cores americanas, tinha a mesa Estrelão, e jogava comigo mesmo, um time contra o outro. O time com as cores americanas foi feito para participar de jogos com os colegas, pouco joguei, acho que ainda tenho os botões, mas a mesa não mais.

Lembranças de uma época.

cl1635128mesaestrelc3a3o2cjogodebotc3a3o29

***

Imagens da internet.

Vaio

Quando comprei o meu notebook há uns anos atrás, comprei-o por duas razões, primeiro por não aquecer tanto como os outros, e principalmente por ter um som potente, e gosto de som alto, um rock, um pop, minhas preferências, e passado algum tempo, e depois de uma limpa, formatação, noto que veio com um som baixo, ruim, até parecido como o meu notebook anterior, da Sony, um outro Vaio antigo que tive, quando não ligava para volume, e fui perceber isto agora. Já entrei em contato com o técnico, e no aguardo para esta correção.

***

Terminei ontem o meu segundo livro, sinceramente não gostei da escolha que fiz, acho que vou ter que voltar a ler as resenhas, e se não tiver nem pensar em comprar, o livro que li foi Alvorecer – Luminescências, de R.P. Rígolo, livro 1, mas da minha parte não haverá livro 2, mesmo que a continuação tenha ficado para o próximo e-book.

França

E ganhou a França, muito mais conjunto, bola, craques, e também mais descansada, além é claro da ajudinha da arbitragem no primeiro gol, já a Croácia jogou a alma, e jogou muita bola nessa copa. Da repescagem das eliminatórias para um vice-campeonato mundial. Parabéns aos Bleus e aos Croatas, pois chegaram lá, um conquistando o mundial, o outro encantando o mundo.

Agora é 2022, e eu espero que em termos de seleção brasileira tenhamos um selecionado forte, com conjunto e craques, porque não levamos nenhum, não me falem em Neymar, joga bem, mas para mim não é o craque esperado, e o que é craque para mim? Pelé, Zico, Rivelino, Falcão, Rivaldo, Romário, Ronaldo e Ronaldinho, Branco e outros.
Do passado, eu sei, mas estes que estiveram na Rússia, não. Bons jogadores sim, muitos estarão de volta no Catar, mas que  estejam também jogadores que decidam, craques que o Brasil sabe formar.

É isso!