A monareta e os óculos

Há muitos anos, quando criança, por volta dos dez anos, por aí, ganhei do meu pai uma bicicleta Monareta, azul metálica, azul forte, e o meu irmão uma verde. Eu não sei se já postei essa história. Naquela época eu já tinha que usar óculos, mas eu não gostava, e um dia fui andar de bicicleta na calçada, e estava uma ventania daquelas, e tão logo eu dobrei a esquina veio areia nos olhos e boca, aí eu voltei para o apartamento, peguei os óculos, fechei a boca e fui pedalar, não perdi o meu dia em função da natureza.
Lembrando daqueles anos, hoje, resolvi postar, e dali em diante, daquele dia em diante, nunca mais deixei os óculos.
Isso aconteceu na Praia do Cassino em Rio Grande/RS.

10 e 60

Assisti ontem o jogo Brasil 4 X 1 Itália, decisão da Copa de 70 no México com gols de Pelé, Gérson, Jairzinho e Carlos Alberto para o Brasil e Boninsegna para os italianos. Pelé abriu o escore, Boninsegna empatou, e no segundo tempo Gérson, Jairzinho e Carlos Alberto finalizaram para o Brasil.
Dez porque eu tinha dez anos, sessenta porque é a minha idade atual.
Não escondo idade.
Na minha opinião foi a seleção show que o Brasil teve, apesar que nesse jogo, revendo após cinquenta anos, alguns jogadores foram fominhas demais, mas sem nomes, e os melhores em campo foram Gérson e Clodoaldo, mais, O Brasil conquistou o tricampeonato.

Para quem quiser rever aquele jogo ou ver pela primeira vez, abaixo está a conquista do tricampeonato. Em 1970 os jogadores podiam atrasar a bola para o goleiro e este pegar com as mãos.

No vídeo estão as escalações de ambas as equipes por ordem numérica da camiseta dos jogadores.

***

O jogo foi revisto pelo YouTube.

Do Brasil

Dos últimos 120 filmes ou cinco páginas do Filmow, apenas seis filmes nacionais. Muito  pouco!

Ponte Aérea
Os Farofeiros
Os Caras de Pau Em O Misterioso Roubo do Anel
Alguém Como Eu
Fala Sério, Mãe
Meu Passado Me Condena 2

Já os livros lidos nacionais que tenho anotados no site do Skoob estão relacionados abaixo.

No Silêncio do Mar
(Juliana Dantas)

Rita Lee: Uma Autobiografia
(Rita Lee)

Inesperadamente Você
(Deborah Strougo)

Procura-se Um Marido
(Carina Rissi)

A Outra
(Juliana Dantas)

Malas, Memórias e Marshmallows
(Fernanda França)

O Doce Sabor da Vingança
(Paula Toyneti Benalia)

Segredos E Mentiras
(Juliana Dantas)

Azar O Seu
(Carol Sabar)

Quando A Noite Cai
(Carina Rissi)

Mentira Perfeita
(Carina Rissi)

A Verdade Oculta
(Juliana Dantas)

Imã de Traste
(Fê Friederick Jhones)

Isso Só Acontece Comigo
(Dayana Araújo)

Cinzas do Passado

(Juliana Dantas)

O Fotógrafo
(Jéssica Milato)

A Jornalista
(Jéssica Milato)

No Mundo da Luna
(Carina Rissi)

As Listas de Ellen
(Renata Varela)

Quando Vi Você
(Nana Pauvolih)

A Coleira
(Nana Pauvolih)

Deliciosa Lição
(Pri Ferraz)

Sob A Luz Dos Seus Olhos
(Chris Melo)

Mais os livros:

Aborrecente Não: Sou Adolescente
(Vera Lúcia de Carvalho)

Ninguém É De Ninguém
(Zibia Gasparetto)

E deles…

Na Margem do Rio Piedra Eu Sentei E Chorei
(Paulo Coelho)
O Diário E A Srta, Prym
(Paulo Coelho)
O Alquimista
(Paulo Coelho)
Maktub
(Paulo Coelho)

A Ordem do Dia
(Márcio Souza)

Alice
(Bernardo Kucinsky)

Os escritores e escritoras nacionais foram conferidos no site do Skoob, mas havia um que outro que não consegui saber a nacionalidade, então ficam para um próximo post.
Já tinha feito um post somente de escritoras nacionais, agora, também, com alguns escritores.

 

Outra foto

Canteiro central da Avenida Dom Joaquim aqui em Pelotas/RS, Brasil. Lugar onde muitas pessoas caminham ou se reúnem para conversar. Postando algumas fotos minhas que ainda não havia colocado no blog.
Depois de algum tempo deixei de sair para fotografar, o que para mim foi uma pena. Gostava muito!

DJq002_11A

***

Sigo lendo O Jogo do Ripper, de Isabel Allende, apesar que ontem não o li, porque ontem comecei o livro, e-book, Anne de Green Gables, de Lucy Maud Montgomery, e estou gostando muito.
Que tagarela a menina, como fala!

Evito ler dois livros ao mesmo tempo, já o fiz, mas com a chatice de um, e a vontade de ler, lendo dois, e me divertindo com o segundo.

O Direito de Nascer

Já era nascido, mas não lembro de ter assistido, era muito criança, foi a partir do final dos anos sessenta que eu comecei a ver televisão, que eu me lembre, mas mais para filmes, séries da época, mas nas pesquisas desses dias, O Direito de Nascer surgiu quando pesquisava as radionovelas, e em 1964 virou novela.

E mais uma vez, e sempre,  sempre com a ajuda do Wikipedia, eis a ficha da telenovela em questão.

O Direito de Nascer é uma telenovela brasileira que foi produzida e exibida pelas extintas TV Tupi São Paulo e TV Rio às 21h30, entre 7 de dezembro de 1964 e 13 de agosto de 1965, tendo 160 capítulos.

Foi escrita por Thalma de Oliveira e Teixeira Filho, com direção de Lima Duarte, José Parisi e Henrique Martins. Foi a primeira das três adaptações para a televisão brasileira da radionovela homônima do escritor cubano Félix Caignet, e o primeiro grande clássico da teledramaturgia brasileira.

Elenco
Nathalia Timberg – Maria Helena de Juncal
Amilton Fernandes – Albertinho Limonta
Isaura Bruno – Mamãe Dolores
Guy Loup – Isabel Cristina
José Parisi – Dom Jorge Luís Belmonte
Elísio de Albuquerque – Dom Rafael Zamora de Juncal
Rolando Boldrin – Dom Ricardo de Monte Verde
Maria Luiza Castelli – Conceição
Vininha de Moraes – Dorinha (Dora Juncal)
Henrique Martins – Dom Alfredo Martins Villareal Martins
Clenira Michel – Condessa Victória de Monteverde
Luis Gustavo – Osvaldo
Adriana Marques – Rosário
Míriam Keer – Graziela
Vera Campos – Julinha Monteiro
Marcos Plonka – Dom Mariano
Léo Romano – Ramon
Jane Batista – Dona Assunção
Genésio de Carvalho – Fabiano
Xisto Guzzi – Dr. Ferrara
Paulo Walter de Freitas – Dr. Antônio
Aída Mar – Madre
Meire Nogueira – Rufina
Oswaldo Loureiro – Garcia

Uma foto da novela original.

Cl16752 (O Direito de Nascer)

Imagem da internet.

Radionovelas

Estava comentando aqui sobre as radionovelas que minha avó ouvia, e aí fui no Google, e fiz a minha pesquisa sobre o assunto olhando o site da Wikipedia.

E olha o que extraí:

Radionovela é um tipo de drama radiofônico no formato de uma narrativa folhetinesca sonora, nascida da dramatização do gênero literário novela, produzida e divulgada em rádio, principalmente na América Latina. Na era de ouro do rádio, as radionovelas foram fundamentais para que a história do rádio brasileiro se configurasse. Elas estimularam a imaginação dos ouvintes e projetaram uma série de rádio atores que, posteriormente, migraram para a televisão.

A primeira transmissão de rádio no Brasil foi ao ar em 7 de setembro de 1922.

O Direito de Nascer
Em 1951, foi ao ar pela Rádio Nacional o maior fenômeno de audiência em radionovelas em toda a América Latina: era O Direito de Nascer. Texto original de Félix Caignet, com tradução e adaptação de Eurico Silva. O original possuía 314 capítulos, o que correspondia a quase três anos de irradiação. No elenco estavam Nélio Pinheiro, Paulo Gracindo, Talita de Miranda, Dulce Martins e Iara Sales, entre outros. O Direito de Nascer surpreendeu a todos os críticos e a todas as previsões que afirmavam que o rádio-teatro era um gênero em decadência e que o público brasileiro não se interessava por longas tramas. A iniciativa de colocar a novela Em Busca da Felicidade no ar partiu da Standard Propaganda, a agência de propaganda do creme dental Colgate.

Ouça um trecho aqui.

 

Campeões

Resolvi fazer um post homenageando os vitoriosos do sábado, o grande Flamengo, com merecimentos, e o Esporte Clube Pelotas, pelo título da Copa Seu Verardi, competição gaúcha, por suas conquistas, mas em modalidades bem diferentes, com adversários bem diferentes, mas em poucas palavras, parabéns aos campeões, ao meu Pelotas, que nesse ano montou uma equipe muito boa para a copa em questão, e com determinação buscou esse título, e título é título, como taça é taça e volta olímpica é volta olímpica, então parabéns aos vitoriosos, aos rubro-negros e áureos cerúleos.

Cl12756 (EC Pelotas).png

Parabéns Esporte Clube Pelotas!!!

Bicampeão

Na Libertadores desse ano o Clube de Regatas Flamengo, dirigido por Jorge Jesus, consagrou-se Campeão da Libertadores 2019, de forma merecida, porque nesse momento e com o poderio que tem, sem poupar jogadores, e encarando o adversário que vier, da mesma forma que competição, mostrou a que veio, e ainda por cima está ali ali de levantar o Brasileirão 2019, porque lidera a muitas rodadas, e não vem deixando para ninguém. Basta o meu Grêmio roubar pontos do Palmeiras e o Flamengo já pode, em menos de 24 horas, erguer novo troféu.

Parabéns Flamengo!

Cl16739 (Flamengo)

Editando o post, pois escrevia e ainda não havia verificado os resultados do Brasileirão 2019…

Flamengo Campeão Brasileiro de 2019!!!

Feira do Livro

Começou, em Pelotas, a 47a. Feira do Livro, edição 2019, que vai de 30/10 a 17/11, na Praça Cel. Pedro Osório, centro da cidade.
Atualmente não tenho nenhum livro em mente para comprar, em outros tempos, recentes, fazia listas de livros que eu gostaria de ler, hoje nada, mas também não tenho mais vontade de ler, como antes.
Ainda tenho dois livros digitais por ler,  Vulgo Grace, de Margaret Atwood, que foi uma dica, e Flores Em Vida, de Tarcisio C. Moura Moia.
Já o terceiro é para teclado, mas preferia que fosse livro físico, é o livro Curso Prático de Teclado, de Daniel Silveira.
Certos livros prefiro manuseá-los.

E aí, teriam algum livro para sugerir?

Sobre a Feira pretendo visitá-la, talvez adquirir um livro ou mais, mas prefiro comprar os mesmos em livrarias, mais calmo do que nas bancas da feira, mas vale pelo evento.

***

E que dificuldade para fazer esse post.

Todo Mundo Sofre

Médicos Sem Fronteiras (MSF) é uma organização humanitária internacional independente e comprometida em levar ajuda às pessoas que mais precisam sem discriminação de raça, religião ou convicções políticas.
Fonte: 99Jobs.com

Clique na foto para saber mais a respeito do que eles fazem e como podem ajudar.

Cl16678 (Médicos Sem Fronteiras)

Everybody Hurts

When the day is long
And the night, the night is yours alone
When you’re sure you’ve had enough of this life
Hang on

Don’t let yourself go
‘Cause everybody cries
And everybody hurts, sometimes
Sometimes everything is wrong
Now it’s time to sing along
When your day is night alone (hold on, hold on)
If you feel like letting go (hold on)
If you think you’ve had too much of this life
To hang on

‘Cause everybody hurts
Take comfort in your friends
Everybody hurts
Don’t throw your hand, oh, no
Don’t throw your hand
If you feel like you’re alone
No, no, no, you’re not alone

If you’re on your own in this life
The days and nights are long
When you think you’ve had too much of this life
To hang on

Well, everybody hurts
Sometimes, everybody cries
And everybody hurts, sometimes
But everybody hurts, sometimes
So hold on

Hold on
Hold on
Hold on
Hold on
Everybody hurts
You’re not alone

R.E.M.

 

Estudando

Hoje saí e comprei material como a velha cartolina para anotar nela o que já vi até agora, em cinco aulas, como teoria, escalas maiores e menores, acordes, claves, símbolos e notas musicais e outras coisas a mais, e paralelo a isso, venho buscando material na internet e imprimindo-os, assim como lendo tudo, mais de uma vez.
Na teoria até que me saindo bem, o ruim é quando tento passar para o teclado, aí não sei o que fazer nele, confesso, e amanhã marquei uma aula com uma professora de teclado para me dar uma orientação.
Teoria é uma coisa, teclado é outra, que nesses últimos dias minha mente está voltada apenas para o instrumento que eu escolhi, que às vezes fico repetitivo aqui no blog, e por isso peço desculpas.
Imprimindo muito.

***

Aqui em Pelotas, e não sei no resto do Brasil, teve muita gente comprando ingressos por antecipação para ver O Rei Leão, respeito a escolha de cada um, mas filmes para mim tem que ser com pessoas reais, não animados, mesmo que por trás haja artistas reais, famosos ou não. No momento, no cinema, nenhum filme dos que passam nas salas daqui, me atraem. À espera de um filme melhor para poder voltar ao cinema.

 

Um vídeo chocante

Eu recebi hoje por Whatsapp o vídeo de uma mulher empurrando o Padre Marcelo Rossi, e fiquei chocado. Após o empurrão, de uma altura considerável, ela pula atrás dele.
Simplesmente passou pela segurança e colocou a vida de um homem santo em jogo, um homem de Deus.
Inadmissível!
Ele já concedeu entrevista dizendo que está bem, graças a Deus, e no meu modo de ver as coisas, vejo como um atentado a figura desse homem.
O vídeo está na internet, e não vou reproduzir em meu blog.

Cl16656 (Padre Marcelo Rossi)

***

Imagem da internet.

Everton Cebolinha

Torci pelo Brasil, e muito, também, pelo Éverton, porque sou gremista, e queria que ele brilhasse, ele brilhou na seleção, aproveitou a chance dele, mas por outro lado ficou mais visível para o mundo, e possivelmente mais longe de permanecer no Grêmio, o clube do meu coração.
Com o futebol que vinha apresentando, jogando no Grêmio F.P.A. já estavam de olho nele, depois dessa passagem pela seleção, não somente os brasileiros como quem acompanhou a Copa América pode constatar, como disse o Galvão Bueno, que ele é sim O cara. O Grêmio teve um dos maiores ponteiros direitos de sua história, Renato Portaluppi, hoje técnico do Grêmio, e também teve Éder Aleixo, ponta esquerda, falando apenas do meu tricolor, dos que eu lembro agora, pois o Brasil teve outros muitos que deram o que falar em seus clubes, e agora numa época que os pontas são raros, surge um menino chamado Everton, apelido Cebolinha, e encanta quando joga, quando dribla, quando vai ao fundo e cruza, ou quando parte para cima do adversário sem tomar conhecimento e guarda a bola em seus chutes ou bolas colocadas na rede adversária.
E vi pela internet um site esportivo – nada contra o site e sua pesquisa – após o Tite convocar a seleção, com uma lista de qual jogador você trocaria, e muitos internautas arriscaram o nome do garoto do Grêmio. Pois é, esses torcedores não entendem nada de futebol.

Brasil campeão da Copa América 2019.

Dá-lhe Everton!!!

Que bonito é

Na Cadencia do Samba
(Que Bonito É)

Samba
Representa uma nação
Samba
Orgulho da raça
Retrato de um povo
Que tem alma e coração

Que bonito é
Ver o samba no terreiro
Assistir um batuqueiro numa roda improvisar
Que bonito é
A mulata requebrando, os tambores repicando
Uma escola a desfilar
Que bonito é
Pela noite enluarada, numa trova apaixonada
Um cantor desabafar
Que bonito é
Gafieira, salão nobre
Seja rico seja pobre
Toda gente a sambar
O samba é romance
O samba é fantasia
O samba é sentimento
O samba é alegria

Bate que vai batendo a cadencia boa que o samba tem
Bate que repicando o pandeiro vai tamborim também

(Luiz Bandeira)

Outros tempos

Sou do tempo que um jogo da Seleção Brasileira contra adversários como Bolívia, Venezuela e Peru era um passeio, sem menosprezá-los, mas hoje em dia gera preocupação, dizem que os selecionados melhoraram, que os jogadores jogam em times grandes da Europa, mas se houve melhoras, no Brasil, então, houve pioras, porque o nosso futebol é penta, o único, diga-se de passagem, então a preocupação deveria ser contra adversários como Uruguai e Argentina, nossos melhores adversários aqui na América do Sul.
Okay, mas e a Colômbia, o Paraguai e o Chile?
Em outros tempos era jogo jogado, mas hoje dizem um monte de coisas, se uns melhoram, os outros pioram, falta de concentração, ou a escalação não é a dos sonhos, e o que escrevem é que o jogo vai se decidir dentro do campo, etc. e tal. Então está bem!

Gostei do placar hoje, muitos gols, cinco a zero, o que não gostei é do Gabriel Jesus errar aquele pênalti. Mais concentração, por favor!

Iúra

O jogo, GreNal, Clássico 233.
Local, Estádio Olímpico, em 14.08.1977.

O jogo começou com os jogadores do Grêmio tocando a bola de pé em pé, sem que o adversário conseguisse cortá-la, e quatorze segundos depois, no gol mais rápido de um GreNal, Iúra, o camisa dez, balançou as redes coloradas para delírio da torcida tricolor, num distante clássico, e inesquecível, de 1977.

O placar final foi Grêmio 2 X 1 Internacional com gols de Iúra (14″) e Tarciso (48′) para o tricolor enquanto Hermínio (82′) descontou para o Internacional.

Cl16616 (Yura)

O Grêmio foi a campo com a seguinte formação: Corbo; Eurico, Ancheta, Oberdan e Ladinho; Vitor Hugo, Tadeu Ricci e Iúra (Zequinha); Tarciso, André (Alcindo) e Éder.
Técnico: Telê Santana.

E o Internacional com: Manga; Hermínio, Beliatto, Gardel e Vacaria; Caçapava (Escurinho), Falcão e Batista; Valdomiro, Luizinho e Lula (Dario) Técnico: Sérgio Moacir.

Apenas uma lembrança sobre o gol mais rápido em GreNal, do Iúra, e daí resolvi fazer esse post.

Com pesquisa do número do clássico, a data, a escalação dos times, e o placar final, na internet.

 

O jogo

Achei que o Brasil ia superar a boa seleção da Venezuela, porém me enganei, os venezuelanos jogaram bem, enquanto os brasileiros, que deveriam ter feito a lição de casa, nem tanto. Começaram pressionando, mas sem êxito.
E o Tite deveria ter tido coragem e ter saído jogando com Éverton, pois teria mais chances para buscar o resultado, e para ele ir para cima dos adversários, furar os bloqueios, mas sempre os mesmos jogadores, sempre os onze que estão em sua mente, joguem bem ou mal.
O povo pediu o Cebolinha, ele entrou e em pouco tempo correspondeu, mas parece que a seleção está torta com ele em campo, e não por culpa dele, mas dos outros selecionáveis.
O Éverton entra como solução dos problemas e para ir para cima dos adversários, mas o jogo do Brasil é sempre pela direita e centro, mesmo que povoado de adversários, e ninguém vê isso, e vez que outra chega uma bola boa na esquerda, ou ele vai buscar, pois é assim que eu vi as duas participações do Brasil na Copa América.
Contra a Bolívia precisou de um lance para mostrar o bom futebol que tem e que todo mundo conhece, e contra a Venezuela teve uma chance em campo, na única bola boa que chegou para ele, pela esquerda, mas não era à noite do Firmino, e o placar foi igual, e sem gols.

 

Chove chuva

Criei o post numa época que por aqui só vem chovendo, aliás estava chovendo quando o programei, e continua, e comecei a cantar a música, e resolvi postar, até porque não a tinha nos posts do meu blog.

Cl16535 (Jorge Benjor)
Chove chuva
Chove sem parar
Chove chuva
Chove sem parar
Pois eu vou fazer uma prece
Pra Deus, nosso Senhor
Pra chuva parar
De molhar o meu divino amor
Que é muito lindo
É mais que o infinito
É puro e belo
Inocente como a flor
Por favor, chuva ruim
Não molhe mais
O meu amor assim
Por favor, chuva ruim
Não molhe mais
O meu amor assim
Chove chuva
Chove sem parar
Chove chuva
Chove sem parar
Sacundim, sacundém
Imboró, congá
Dombim, dombém
Agouê, obá
Sacundim, sacundém
Imboró, congá
Dombim, dombém
Agouê
Agouê, oh! oh! oh! obá
Agouê, oh! oh! oh! obá
Agouê, oh! oh! oh! obá

(Jorge Benjor)

Dia das mães

Hoje domingo, 12/05, é o Dia das Mães, nossas carinhosas e amadas mães, presentes ou não.

Cl16529 (Rosas)

A minha segue hospitalizada.
O médico queria dar alta nesses dias, mas prefiro que quando ela saia, saia bem e pronta para seguir com seu tratamento em casa, e possa se cuidar bem.
Desejo a minha mãe e a todas as mães um domingo cheio de paz e amor e muita saúde, e que Deus abençoe a todas elas.

Mãe é tudo para cada um de nós, Mãe é vida, pelo menos a nossa, a de cada um, é alimento, é carinho, caminho, abraço. Eu amo a minha, e cada um de nós, a sua. Viva o Dia das Mães.
(Comentário que fiz no Pitacos e Achados e resolvi reproduzir em meu blog)

Um Feliz e Abençoado Dia das Mães!!!