Filmes e livros

Não posso escrever como gostaria, então fica uma atualização do que vi no domingo e li no mês, 23 livros no ano. Não estou podendo vir devido as fortes dores nos dois ombros, velhos problemas, e poucas ideias, mas visitando os blogs.

Os três filmes que eu vi hoje na tarde desse domingo foram esses.

Terapia de Risco, Céus Turbulentos, que já havia visto, e Floresta Maldita. Vi mais alguns filmes e séries, mas encerrei o domingo agora à noite depois desses três filmes. Em julho li apenas um livro que queria ler muito, À Sombra de Uma Mentira, de Alex Marwood. Tentei começar um outro, por duas vezes, e não consegui. É o livro A Herdeira, de Daniel Silva. Uma hora sai a leitura. Lendo muito pouco nesse ano.

 

Oi

Comecei a ler um livro, À Sombra de Uma Mentira, de Alex Marwood. Queria muito ler esse livro, livro que adquiri em junho, e que vem sendo minha primeira leitura desse mês. Pensei que fosse o único com dificuldades e vontade de ler, mas percebo que outras pessoas estão também com essa parada literária.
Vim para o centro porque na praia volta e meia cai a luz, e aqui acampado na minha casa.
Com teclado, que parece mais um enfeite, e ocupa um bom espaço, o notebook que é o que eu mais uso, um livro, já citado acima, e focado em tudo e nada ao mesmo tempo.
Hoje o dia esteve quente aqui em Pelotas, 29 graus anunciados. Saí de carro para dar um giro, e voltei, pelo menos dei uma passeada, e o clima estava ótimo, mesmo que saiba não ser para sempre.
Uma grande dificuldade para por um título nesse post.

A monareta e os óculos

Há muitos anos, quando criança, por volta dos dez anos, por aí, ganhei do meu pai uma bicicleta Monareta, azul metálica, azul forte, e o meu irmão uma verde. Eu não sei se já postei essa história. Naquela época eu já tinha que usar óculos, mas eu não gostava, e um dia fui andar de bicicleta na calçada, e estava uma ventania daquelas, e tão logo eu dobrei a esquina veio areia nos olhos e boca, aí eu voltei para o apartamento, peguei os óculos, fechei a boca e fui pedalar, não perdi o meu dia em função da natureza.
Lembrando daqueles anos, hoje, resolvi postar, e dali em diante, daquele dia em diante, nunca mais deixei os óculos.
Isso aconteceu na Praia do Cassino em Rio Grande/RS.

Escrevendo apenas

Me dei conta agora que estava um tempão com a cara abaixada e de olho na tela do computador, olhando os blogs que atualizaram, curtindo e comentando, mas lendo alguns blogs que já sigo, e outros novos, e seguindo alguns. Não venho aqui há alguns dias, no blog, não li nenhum livro, ainda, e vi apenas dois filmes, um acho que vou ter que anotar, já o outro acho que já vi e o anotei. Mesmo levando o teclado e o notebook comigo para a casa do centro, pois fiquei sem luz por mais de um dia e meio na casa da praia, onde resolvi passar o ano em função da pandemia, só utilizei o notebook. Agora de volta e com muito frio, 13 graus. Nunca gostei do inverno, sempre fui do verão, mas já escrevi isso no blog. Ultimamente nada para postar, um assunto que seja, mas então vou de atualizações.
Vi uma tag interessante sobre livros, filmes e séries, mas não gravei o blog, mas quando perguntam qual o melhor livro do semestre, lançamento do primeiro e segundo semestre, e o mesmo para filmes e séries, aí complica, seja com pandemia ou não. Na literatura eu não acompanho qual o livro que está para ser lançado, nem se é o primeiro livro do autor, talvez em filmes e séries, e olhe lá, que acabaria deixando muita questão incompleta, mas acho as tags bem legais, só não participo de todas elas mesmo o tema sendo de assuntos que eu goste muito.

Nada esto fue un error

Uma música que eu gosto muito de Coti com Paulina Rubio e Julieta Venegas.

Tengo una mala noticia
No fue de casualidad
Yo quería que nos pasara
Y tú, y tú
Lo dejaste pasar
No quiero que me perdones
Y no me pidas perdón
No me niegues que me buscaste
Nada nada de esto, eh
Nada de esto fue un error
Oh-oh
Nada fue un error
Nada de esto fue un error
Oh-oh
Nada fue un error, y te digo
Los errores no se eligen
Para bien o para mal
No fallé cuando viniste
Y tú, y tú
No quisiste fallar
Aprendí la diferencia
Entre el juego y el azar
Quien te mira y quien se entrega
Y nada nada de esto
Nada de esto fue un error (nada)
Oh-oh
Nada fue un error
Nada de esto fue un error
Oh-oh
Nada fue un error (guitarra)
Tengo una mala noticia
No fue de casualidad
Yo quería que nos pasara
Y tú, y tú
Lo dejaste pasar
No quiero que me perdones
Y no me pidas perdón
No me niegues que me buscaste
Nada nada de esto
Nada de esto fue un error
Oh-oh
Nada fue un error
Nada de esto fue un error
Oh-oh
Nada fue un error
Los errores no se eligen
Para bien o para mal
No fallé cuando viniste
Y tú, y tú
No quisiste fallar
Aprendí la diferencia
Entre el juego y el azar
Quien te mira y quien se entrega
Nada nada de esto
Nada de esto fue un error (uh)
Oh-oh
Nada fue un error
Nada de esto fue un error
Oh-oh
Nada fue un error
Nada de esto fue.

Compositores: Coti Sorokin