Grêmio de Pedro Rocha

No primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil deu o Grêmio de Pedro Rocha, e todo o coletivo tricolor e companhia, no Mineirão.

Atletico-MG 1 X 3 Grêmio

Foi “o jogo”, mas segundo comentários – eu nunca vejo os jogos – jogaram demais, pena o Pedro Rocha que esteve e jogou com a bola toda, e por causa dele, de um lance bobo, o de ter tirado a camisa na comemoração, esse lance sempre levará ao cartão amarelo, e depois ter feito falta desnecessária, ter sido expulso. Prejudicou mais ao Grêmio do que a ele, pelo momento, mas agora restam mais noventa minutos, e o Grêmio deve continuar focado, com respeito ao adversário, como sempre, e estar inspirado para diante de sua torcida repetir o feito de ontem, e levantar o quinto título da Copa e do Brasil, e mais do que isso, e depois de um jejum de quinze anos, um outro caneco.

Vai Grêmio!

cl14813-pedro-rocha

Pedro Rocha

Comemoração e o peso da camisa

É sabido no futebol que comemorar um gol tirando a camisa leva ao cartão amarelo, então eu me pergunto, a todos esses jogadores que usaram dessa prática, o que passa na cabeça deles para agirem assim? E tirar a camisa e atirar ao chão ou girar sobre a cabeça pra mim não é comemoração, é falta de respeito com as cores do clube. As comemorações que me chamam mais atenção é quando o atleta pega a camisa e beija sobre o logotipo da mesma ou a do Rei Pelé saltando no ar naquele seu gesto característico que ficou para a história, ou numa forma individual, por exemplo, Barcos tapando um olho, mas dançar ou jogar a camisa não é a comemoração que aprecio e o jogar a camisa acaba em penalidade para o jogador, e se reincidir no jogo, em expulsão, e foi o que aconteceu com Pedro Rocha, que não só prejudicou a ele mesmo, pois não joga a final, como e principalmente ao Grêmio.