Não devia estar aqui escrevendo, pelos meus problemas gigantes, minhas dores nos ombros que não passam nunca, e enquanto vier aqui, no computador, enquanto não der uma parada, não passarão, mas no verão de 2014, na Praia do Cassino, Rio Grande/RS, eu e minha mãe estávamos sentados na beira do mar curtindo as ondas que iam e vinham e notamos um dono e seu cãozinho, que latia muito, vindo em nossa direção, e quando o dono chegou foi direto ao regador verde que minha mãe usava para se banhar, sim, ela por não poder entrar no mar, ter seus medos e impedimentos, usava um regador, eu enchia com a água do mar, ela pegava e se banhava, sempre, e o dono veio, pegou o regador e o seu cãozinho latia e recuava com medo daquela coisa verde, mas foi como uma apresentação, o dono aproximou o objeto de seu cãozinho, e como num passe de mágica e não apresentando perigo para o cão, ele parou de latir, conversamos um pouco mais, os três, e ele se despediu de nós e foi embora, veio de longe, porque não estava perto da gente, mas o suficiente para o cachorro dele enxergar um objeto estranho na praia. Achei engraçado essa história, e resolvi contar aqui.

Anúncios